SEXTOU VACINA VG 2022

Segunda Edição do “Sextou Vacina VG” ficará aberto das 8h às 22h

Publicados

em

A vacinação em massa da população brasileira contra a Covid-19 será fundamental para a melhoria do ambiente de negócios e a retomada da economia brasileira de modo sustentado.

A imunização permitirá o retorno seguro dos brasileiros às atividades diárias e ao trabalho, a recuperação do mercado consumidor e dos investimentos e, consequentemente, a reativação de todos os setores da economia. Mais importante, permitirá que a população brasileira possa, enfim, contar com a proteção contra um vírus que tem trazido enorme custo humano para o país e para o mundo.

Alegria e esperança marcaram a retomada da Campanha de Vacinação contra a Covid-19 em Várzea Grande. O clima também foi de tranquilidade nos pontos fixo e em sistema de drive-thru preparados pela Prefeitura Municipal da Cidade Industrial, por meio da Secretaria Municipal de Saúde.

O prefeito da Cidade de Várzea Grande, Kalil sarat Baracat de Arruda (MDB), juntamente com seu vice, José Anderson Hazama (DEM), vem acompanhando os trabalhos, cumprimentando à comunidade e deixando sua mensagem de fé para todos os servidores públicos e os idosos imunizados.

O sentimento é de felicidade, esperança e gratidão, mas alertamos a população para que continue seguindo os protocolos de segurança, mantendo os cuidados com a doença. A prevenção entre os imunizados também deve ser mantida, até mesmo após a aplicação da primeira dose”.

Várzea Grande superou 12 mil pessoas vacinadas contra a COVID-19 em seis dias do ano de 2022 desde que foi retomada as ações em busca da imunização das pessoas, inclusive com a realização do Sextou Vacina VG / Largada 2022.

Essa é a demonstração de que a população quer se vacinar, quer estar imunizada e longe da COVID-19”, disse o prefeito em exercício, José Hazama frisando que o primeiro ano da gestão Kalil Baracat foi voltada para a vacinação que se iniciou no Brasil em janeiro de 2021.

José Hazama frisou que as atenções voltadas para a Saúde Pública como um todo permitiram que a segunda maior cidade de Mato Grosso fosse exemplo de eficiência e de resultados.

Estamos invariavelmente com prazos superiores desde outubro de 2021, com 15, 20 ou 25 dias, sem óbitos, o que demonstra estarmos no caminho certo, então a ordem do prefeito Kalil Baracat é reforçarmos a vacinação e as medidas de biossegurança como o uso de máscara, álcool em gel e distanciamento social entre outras medidas para conter a pandemia que está avassaladora em todo o mundo”, disse.

Ele foi informado pelo secretário de Saúde, Gonçalo Barros, dos avanços nos primeiros dias deste ano e cobrou o encaminhamento a Secretaria de Saúde de Mato Grosso (SES/MT) e ao Ministério da Saúde (MS) de solicitações de reforços para atuar no combate a COVID-19 e também no surto da Síndrome Gripal que já afeta muitas pessoas e provoca corrida as unidades de Saúde, principalmente aquelas que funcionam 24 horas por dia durante todo o ano que são as UPAs IPASE e Cristo Rei e o Hospital Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande.

Leia Também:  Lar dos Idosos São Vicente de Paulo é uma das entidades beneficiadas pelo Nota MT

Segundo Gonçalo Barros, a campanha de imunização contra a Gripe Influenza tem planejamento estabelecido pelo Ministério da Saúde, através do Plano Nacional de Imunização (PNI), e sempre é realizada entre os meses de maio e junho todos os anos.

Já ouvimos reclamação de que não tem vacinas contra a Influenza nas unidades de saúde, mas essas vacinas são encaminhadas dentro de um planejamento realizado pelo Ministério da Saúde e as mesmas não preveem a existência de doses durante todo o ano contra a Gripe Influenza, mas apenas no período de imunização que varia entre um e até três meses”, explicou o titular da Saúde de Várzea Grande.

Gonçalo Barros sinalizou que vai solicitar as demais autoridades de Saúde um novo planejamento diante do surto de Síndrome Gripal e da Variante da COVID-19, a Ômicron.

Podemos ter aumento nos casos, mas é tácito que os efeitos são menores e sem graves consequências”, assinalou o secretário.

Fora isto, Várzea Grande, resolveu intensificar a vacinação nesta semana, de 9 a 15 de janeiro, pelo volume de pessoas que já estão aptas para se vacinarem respeitando os intervalos entre primeira, segunda, dose de reforço que foi reduzida de 150 dias para 120 dias ou dose de reforço da Vacina Janssen que inicialmente era para ser aplicada uma única vez e diante das mutações da COVID optou-se também pela dose de reforço.

Nesta semana a vacinação ocorrerá em 15 unidades de Saúde de Atenção Primária, em horário de expediente, entre 8h às 11h e das 13h às 16h. Já no Ginásio Poliesportivo Fiotão, o horário de segunda à quinta-feira, será das 8h às 16 h. Na sexta-feira (14) no ponto do Fiotão haverá a Segunda Edição do ano do Sextou Vacina VG, e ficará aberto das 8h às 22h.

As unidades estão extremamente organizadas e o Ginásio Fiotão, vai atender todas as sextas feiras, das 8 às 22h, nas edições do ‘Sextou Vacina VG”, e aos sábados vamos manter o drive thru, no Parque Berneck, funcionando das 8h às 16h. O alerta é para as pessoas que tomaram a vacina da Janssen, procurem, durante a semana, o ponto do Fiotão, que se tornou referência para aplicação deste imunizante. As unidades de Saúde não vão aplicar este imunizante. Porém nas edições do Sextou VG e aos sábados no Parque Berneck, a vacina da Janssen também será aplicada. Esta organização se faz necessária, em decorrência da exigência do fabricante, que requer um acondicionamento diferenciado das outras vacinas. Nas unidades as demais vacinas estão sendo aplicadas como também nos demais pontos, explicou o secretário.

Outra preocupação da Saúde Municipal, se refere ao aumento de casos de Covid-19, positivados no município, por isso a aceleração e o chamado, para que as pessoas completem seu ciclo vacinal.

A cada 100 pessoas atendidas na Upa do Ipase com sintomas gripais, somente neste final de semana, 50% positivou para Covid-19 e 50% positivou para gripe. Um dado preocupante, que colocou a Saúde em alerta. Por outro lado, as pessoas que estão contraindo a Covid-19, e que estão vacinadas, estão em tratamento em casa, com baixa na internação. Os casos mais graves são das pessoas que não se vacinaram. Por isso a importância de colocar em dia a vacinação contra a Covid-19. O Município passa pela pandemia da Covid-19 e o surto da gripe Influenza A H3N2. Nossas unidades estão equipadas com medicamentos, estão realizando testes e fazendo exames de imagem, nos casos necessários, e na Upa do Ipase montamos novamente o Centro de Triagem tanto para a Covid-19, como para a Síndrome Gripal, com o aumento de médicos em atendimento, enfermeiros e exames, explicou o secretário.

Locais de Vacinação

Nesta semana, a vacinação será realizada nos seguintes locais em horário de expediente, entre 8h às 11h e das 13h às 16h

• Centro Saúde Nossa Senhora da Guia;
• UBS Santa Isabel;
• UBS Cabo Michel;
• Clínica Atenção Primária Jd Glória;
• Policlínica Atenção Primária Cristo Rei;
• ESF Jardim Manaíra;
• UBS Ouro Verde;
• Clínica de Atenção Primária 24 de Dezembro;
• Policlínica Atenção Primária Parque do Lago;
• PSF Capão;
• Centro de Saúde Cohab Cristo Rei;
• Policlínica Marajoara;
• UBS Aurília Curvo;
• UBS São Mateus;
• UBS do Água Vermelha.

Ginásio Poliesportivo Fiotão

Leia Também:  "Não podemos assistir a quebra de um setor inteiro"

Segunda à quinta-feira (10 a 13 de janeiro)
Das 8h às 16h.
Na sexta-feira (14 de janeiro) Segunda Edição do ‘Sextou Vacina VG’
Das 8h às 22h.

Parque Berneck

No sábado (15 de janeiro), a vacinação ocorre no Parque Berneck em sistema Drive Thru
Das 8h às 16h

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Destaques

Pesquisadores e organizações alertam para degradação do Parque Cristalino

Publicados

em

Considerado um dos últimos “sobreviventes” do avanço do desmatamento ao norte de Mato Grosso, o Parque Estadual do Cristalino pode ser extinto em breve, após decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), nesta semana. Com mais de 118 mil hectares, o parque foi criado há mais de 20 anos e instituído como Unidade de Conservação (UC), abrigando espécies raras da fauna e flora, incluindo algumas em extinção no Brasil.

Pesquisadores alertam sobre os riscos da degradação ambiental, expansão de atividades exploratórias, grilagens e até o desaparecimento de espécies exclusivas do bioma. Entidades socioambientais do estado já estudam meios judiciais para suspender os efeitos da decisão.

A decisão do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso (TJMT) saiu após um parecer da Procuradoria Geral do Estado (PGE) que não obteve qualquer recurso por parte do estado, sinalizando a despreocupação com que questões ambientais vêm sendo tratadas em Mato Grosso.

Situado na divisa entre Novo Mundo e Alta Floresta, o Parque Estadual do Cristalino II é quase um “santuário” de mamíferos, aves e florestas tropicais. Entre os argumentos usados pelo Subprocurador-Geral de Defesa do Meio Ambiental, Davi Maia Castelo Branco Ferreira, está a ausência da realização de audiências públicas e estudos técnicos de viabilização para a criação de uma Unidade de Conservação à época do Decreto Estadual n.º 2.628, de 30 de maio de 2001. A tese acolhe um pedido da empresa agrícola Sociedade Comercial e Agropecuária Triângulo Ltda, localizada em São Paulo (SP).

De acordo com o biólogo e professor do Núcleo de Estudos da Biodiversidade da Amazônia Mato-grossense da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), campus Sinop, Domingos de Jesus Rodrigues, a primeira reação diante da notícia da extinção do parque foi de “incredulidade”. Segundo ele, a decisão vai na contramão do ponto de vista socioambiental.

Enquanto o mundo todo reforça a importância de preservar áreas de florestas para garantir o ciclo das águas, o equilíbrio ambiental, dentre outros pontos, uma decisão como essa, acaba com tudo. Ela revela o descompasso entre os interesses ambientais e jurídicos/econômicos em Mato Grosso”, alerta.

Por meio de um Termo de Cooperação Técnica assinado em 2009 entre a UFMT de Sinop e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema/MT), diversas pesquisas científicas são realizadas no Cristalino há mais de 10 anos. A parceria foi renovada em 2020 por, teoricamente, mais uma década.

Leia Também:  Rompimento de barragem em Nossa Senhora do Livramento não atingiu drenagens, corpos hídricos ou áreas de vegetação nativa

No entanto, com a decisão de extinguir o parque, estudos ainda em andamento serão interrompidos, uma vez que o acesso ao local deve ser dificultado.

São mais de 10 dissertações, 30 artigos científicos, livros com a categorização de espécies, trabalhos de georreferenciamento, identificação de novas espécies. Tenho alunos que acabaram de retornar de lá e uma turma que seguiria na próxima semana para dar continuidade a pesquisas. Há projetos para proteção da biodiversidade, estações de medição do volume de chuvas, enfim, diversas atividades em andamento e em parceria com outras instituições. Fomos pegos totalmente de surpresa e agora a preocupação é quanto ao risco de degradação ambiental e perda de espécies raras, lamenta o biólogo.

Uma das espécies mais ameaçadas de extinção é o macaco-aranha-de-cara branca, encontrado raramente no Parque Cristalino e acompanhado por pesquisadores. O primata não “mora” no local por acaso. O biólogo e professor associado da UFMT de Sinop, conselheiro do Instituto Ecótono e presidente da Sociedade Brasileira de Primatologia, Gustavo Rodrigues Canale, explica que a faixa amazônica em Mato Grosso é dividida em ecorregiões com particularidades. Assim, espécies encontradas em uma área só podem viver naquele local.

Quando se fala em Mato Grosso, muitas pessoas pensam só haver o Pantanal e o Cerrado, mas há uma faixa importante da Amazônia. Perdendo espécies neste local não há como ‘substituí-las’ em outro lugar, pois elas não sobrevivem. A área do Cristalino é estratégica para muitas espécies, porque fica na transição de dois biomas, a Amazônia e o Cerrado. Infelizmente, quando se olha para Mato Grosso, nota-se uma perda cada vez maior de florestas tropicais. Hoje, o norte do estado é praticamente um vazio de unidades de conservação. Perder o Cristalino é perder uma dessas poucas áreas, acrescenta.

Risco para outras unidades é levantado

Em nota divulgada nesta quinta-feira (04), o Observatório Socioambiental de Mato Grosso (Observa-MT) alerta para o risco de a decisão afetar outras 18 Unidades de Conservação Estaduais, caso os questionamentos feitos em relação ao Cristalino desdobrem aos demais.

Com isso, o Estado de Mato Grosso perderia 1,38 milhões de hectares de áreas protegidas, colocando em cheque os seus compromissos internacionais de redução de emissão de carbono, a credibilidade dos seus posicionamentos quanto à sustentabilidade do estado e os fluxos de recursos para o desenvolvimento de baixo carbono e a modernização das práticas agropecuárias, cita um trecho do documento.

Dentre os riscos para estas unidades está o aumento nos conflitos agrários e avanço do desmatamento pelo agronegócio, como aponta Gustavo Canale.

O que deveria ser feito é aumentar as áreas de conservação em Mato Grosso, sobretudo na região norte, que já sofre com o desmatamento. É uma região preciosa e que deve ser preservada. A perda daquela área como Unidade de Conservação deve aumentar a possibilidade de disputas de terras e grilagens, o que coloca em risco várias espécies da fauna e flora”.

Diante da situação, e apesar do voto vencido do relator desembargador Luiz Carlos da Costa, que afirma que foi realizado estudo técnico para criação do Parque, organizações socioambientais de Mato Grosso, apoiadas por assessorias jurídicas e especializadas, estudam meios judiciais para suspender os efeitos da decisão.

Leia Também:  "Eu não saio atirando para tudo que é lado, eu tenho uma posição firme, nós temos partidos alinhados, estamos trabalhando o diálogo"

Um dos pontos questionados sobre a decisão é quanto ao trânsito em julgado do processo para o Estado de Mato Grosso sem nenhum recurso judicial interposto pela Procuradoria Geral do Estado (PGE), o que demonstra uma inércia do Poder Público na defesa de suas áreas de preservação.

No entanto, nesta última quinta-feira (04), a movimentação processual foi cancelada, cabendo recursos junto ao Supremo Tribunal de Justiça (STJ) e Supremo Tribunal Federal (STF).

Em resposta sobre o caso, a Sema informou que por se tratar de decisão judicial de última instância, o Estado revogará o decreto. A pasta destaca que a decisão abrange “apenas” o Parque Cristalino II que possui mais de 80 mil hectares de área, enquanto o Parque Estadual do Cristalino com 66 mil hectares segue como unidade de Proteção Integral, sob gestão estadual.

Questionada sobre as pesquisas em andamento junto à UFMT de Sinop, o órgão informou que os estudos continuarão apenas no Cristalino, pois os recursos estão vinculados às Unidades de Conservação da Bacia Amazônia.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA