CANDIDATURAS EM RISCO

MPE pede impugnação de Vargas que pede impugnação de Pinheiro

Publicados

em

As eleições municipais que acontecem no dia 15 de novembro em todo o Brasil são marcadas pela apresentação de ideias e propostas à população, isto sem contar a tradicional troca de farpas entre os candidatos.

Em Várzea Grande, cidade vizinha da Capital Cuiabá, outro componente nesta eleição para ver quem tem a melhor proposta para os várzea-grandenses esta sendo a impugnação de candidaturas à Prefeitura da Cidade Industrial.

A eleição deste ano parece mesmo seguir a lógica das ultimas disputas eleitorais, com o Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Mato Grosso (TRE/MT), tendo a participação ativa na decisão dos nomes que estarão nas urnas sob a avaliação da população do município que estão aptos em escolher o melhor para sua cidade.

Com dois pedidos de impugnação protocolados recentemente, das quatro chapas em Várzea Grande, que estão travando uma verdadeira batalha campal nesta eleição quer o direito de administrar a Cidade Industrial, e dois terão que apresentar suas defesas e explicações a Justiça Eleitoral.

Os últimos pedidos foram endereçados aos candidatos Flavio Alberto de Vargas e o vice de Emanuel Pinheiro Neto, Wilton Coelho Pereira, as razões são distintas. Contra Flavio Alberto de Vargas, o “Flavio Frical”, a requisição partiu do Ministério Publico Eleitoral (MPE) em função do problema de documentação.

Quedou-se inerte quanto a juntada de Certidão Negativa da Justiça Federal dos processos que tramitam eletronicamente (PJE), porquanto efetuou a juntada somente da certidão especifica de processos físicos, ocultando do juízo eleitoral uma ação penal e uma execução penal propostas na Justiça Federal”.

Este é o documento assinado pelo promotor de Justiça Marcelo Malvezzi em seu parecer pelo indeferimento do registro de candidatura do empresário Flavio Alberto de Vargas (PSB), postulante ao cargo de Prefeito de Várzea Grande.

A Coligação “Um Novo Tempo para Várzea Grande, que tem Emanuelzinho Pinheiro Neto, do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) foi quem fez o pedido de impugnação da candidatura do empresário Flavio Vargas, o “Flavio Frical” do Partido Socialista Brasileiro (PSB).

No pedido de impugnação, a Coligação “Um Novo Tempo para Várzea Grande, alega que o empresário Flavio Vargas omitiu uma condenação na Justiça, o que lhe impede de concorrer nesta eleição municipal para a Prefeitura de Várzea Grande e a sua chapa não anexou documentos necessários para o registro de candidatura de Flavio Frical.

Com isso, o Ministério Público Estadual se manifestou pelo deferimento da impugnação apresentada, com o indeferimento do registro do empresário Flavio Vargas, após verificar a existência de omissão na apresentação de documentos obrigatórios por parte do requerente.

Em um trecho do parecer do o Ministério Público Estadual cita:

Assim, verificando a existência de omissão na apresentação de documentos obrigatórios por parte do requerente, no mérito, o Ministério Público manifesta pelo deferimento da impugnação apresentada, com o indeferimento do registro do requerente”.

Para o Ministério Publico Estadual, o empresário e candidato a Prefeito de Várzea Grande, Flavio Alberto de Vargas pela Coligação “Todos Por Várzea Grande, confessou a existência das referidas ações, mas alegou que em se tratando de certidão para fins eleitorais, o que a Justiça Federal informa é a existência de processos/condenações aptos a causar inelegibilidade daqueles que pretendem concorrer a cargos eletivos, o que não seria o caso ante a ausência de condenação.

A defesa de Flávio Frical

Em se tratando de certidão para fins eleitorais, o que a Justiça Federal informa é a existência de processos/condenações aptos a causar inelegibilidade daqueles que pretendem concorrer à cargos eletivos”.

Esta foi a contestação da defesa do candidato do PSB Flávio Frical, alegando que o registro de candidatura deve ser deferido porque a condenação que consta contra ele não é motivo para impedi-lo de entrar numa disputa eleitoral.

Todos Por Várzea Grande” também pede impugnação de candidatura

A chapa da Coligação “Todos Por Várzea Grande, do candidato do PSB, Flávio Alberto de Vargas, o “Flavio Frical” também pediu a impugnação da chapa Um Novo Tempo para Várzea Grande do também candidato Emanuelzinho Pinheiro do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).

Segundo a Coligação “Todos Por Várzea Grande, um dos motivos do pedido de impugnação, é que o candidato a vice-prefeito de Emanuelzinho Pinheiro, Wilton Coelho Pereira também do PTB, teve o mandato cassado em 2015 por Caixa 2 quando era candidato a vice na chapa do então candidato Wallace Guimarães na campanha eleitoral daquele ano.

A DEFESA E ATAQUE

O coordenador da campanha a Prefeito de Várzea Grande, do empresário Flávio Frical, o ex-prefeito e empresário Sebastião dos Reis Gonçalves, o “Tião da Zaeli”, mirou sua metralhadora contra os candidatos Emanuel Pinheiro Neto (PTB) e Kalil Baracat (MDB), e fez duras criticas. Tião da Zaeli disse Kalil Baracat, além de morar em Cuiabá, nunca administrou uma empresa, e nunca teve uma carteira assinada.

Sobre Emanuelzinho Pinheiro, Tião da Zaeli cutucou o filho do Prefeito de Cuiabá, pela falta de experiência administrativa, que segundo ele dificultará o comando da segunda maior cidade do Estado.

O empresário “Tião da Zaeli” ainda classificou como chacota a candidatura do deputado federal e desmereceu o projeto encabeçado pelo petebista.

Como pode, ele nunca pagou uma guia de DARF, quem nunca administrou uma barraca de pipoca, que ser prefeito, o Emanuelzinho não vou nem falar, a candidatura dele não tem viabilidade nenhuma, esta é uma piada de mal gosto, atirou com todas as balas de sua metralhadora giratória.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Por 10 votos a 1, STF determina repasse integral de duodécimos à Defensoria Pública de Mato Grosso
Propaganda

Destaques

Dia 30 segunda pesquisa do IBOPE será divulgado pela TVCADia 30 segunda pesquisa do IBOPE será divulgado pela TVCA

Publicados

em

Tem candidato que estará comemorando sexta-feira dia 30, o seu crescimento. O Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope) solicitou o registro da amostra no último dia 25 junto o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para ser divulgado pela TV Centro América, afiliada da Rede Globo de Televisão em Mato Grosso.

Está será a segunda rodada de pesquisa, a primeira foi divulgada no dia 16 de outubro, e quatros melhores colocados foram:

– Abílio Junior (PODEMOS) 26%
– Emanuel Pinheiro (MDB) 20%
– Roberto França (PATRIOTA) 19%
– Gisela Simona (PROS) 11%
– Brancos e nulos 11%

E os que não sabem ou não responderam 7%.

O engraçado é que, no dia 21 de outubro o IBOPE publicou uma nota, no qual, esclarece que a pesquisa de intenção de voto para prefeito de Cuiabá, “foi por meio de abordagem telefônica”.

E que “o trabalho não representa o eleitorado como um todo”.

O Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística observou na ocasião que os dados devem ser interpretados com alguns cuidados e, que o objetivo de uma pesquisa não é antecipar os resultados de eleição, mas sim mostrar o cenário do momento.

O bem da verdade é que no meio político a nota do IBOPE, não foi bem ingerida: se foram ouvidas 602 pessoas, mesmo que seja por telefone. Qual foi a causa “principal” da nota?

Há comparação entre resultado de pesquisa face a face e outras feitas por telefone?

Sim os resultados são muitos parecidos quase sempre, dependendo a margem de erro. Diferenças são apenas de abordagem. Quanto a causa “principal”, não sei.

Em tempos de crise e instabilidade política, a opinião e o comportamento do eleitor brasileiro devem ser alterados e impactados por outras influências. Saber como o eleitor pensa e quais critérios utilizam para a sua tomada de decisão é fundamental.

A pesquisa eleitoral é um recurso fundamental para que os candidatos possam ter noção do clima eleitoral, e até mesmo, fazer mudanças nas suas estratégias de marketing e relacionamento com o seu público. As mudanças realizadas com base na opinião do eleitor podem ser o fator diferencial para um candidato ser bem sucedido em sua campanha.

Segundo dados levantados por um cientista político procurado pelo Blog do Valdemir para que fosse feito uma rápida e curta avaliação do cenário político em Cuiabá, disse que, dificilmente haverá mudança entre o segundo e terceiro lugar.

Probabilisticamente, as chances para quem estiver numa posição difícil, 3ª ou 4ª colocação, as chances de chegar ao segundo turno vão ficar bastante reduzidas”, avaliou em curtas palavras.

Nota da redação

O Instituto de Pesquisa DataFolha, sobre pesquisas eleitorais diz que: as amostras do Datafolha tem entre 2 mil a 2,5 mil entrevistas mas, não há tamanho mínimo ou ideal para uma amostra eleitoral.

O mais importante é a sua representatividade, ou seja, como são selecionados os entrevistados.

Domicio Torres, a pessoa mais renomada da área de pesquisa do mercado do Rio Grande do Sul e até do Brasil e dono do Instituto Reality de Pesquisa, questionado sobre nível de confiança, exemplificou que, por exemplo: se for feita 100 pesquisas ao mesmo tempo, 95% delas será possível encontrar os mesmos percentuais. Sejam elas parecidas ou iguais.

No entanto pode acontecer que em 5% delas, o resultado seja bastante diferente.

Torres afirmou que a pesquisa não diz em quem as pessoas devem voltar e que o eleitor sempre foi e sempre será soberano.

O eleitor vota segundo aquilo que ele vê nos candidatos, na maioria das vezes será influências de partidos e questões ideológicas.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Conselheiro Substituto é denunciado por usar o site do TCE para promover a venda de seus livros
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA