SINDROME GRIPAL SE ALASTRA

Influenza H3N2 faz primeiro óbito em Cuiabá

Publicados

em

A epidemia de gripe no Estado de Mato Grosso, provocada pela variante H3N2 do vírus Influenza, já dá sinais em outros locais do país e deixa em alerta autoridades sanitárias, especialmente no momento em que muitos brasileiros pretendem viajar ou vão ainda viajar aproveitando o termino das ferias com familiares e amigos.

A gripe tem uma letalidade menor que a Covid-19. Mesmo assim, grupos de risco (crianças, idosos, gestantes e indivíduos com comorbidades) têm maiores chances de evoluir para casos graves.

O que é o H3N2

Assim como o H1N1, o H3N2 é um subtipo de Influenzavírus A. As diferenças entre eles ocorrem por mudanças nas proteínas de superfície hemaglutinina e neuraminidase. Muitas pessoas que pegaram gripe recentemente relataram sintomas intensos, como febre alta e um quadro de extrema indisposição.

O vírus que está por trás do aumento de casos de gripe não é novo, mas começou a circular com mais intensidade no hemisfério norte nos últimos meses, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a incluí-lo, em setembro de 2021, nas recomendações para atualizações das vacinas contra Influenza para 2022 no Hemisfério Sul.

Suspeita-se que tenha se espalhado por aqui fora de hora devido a dois fatores: a baixa adesão à vacina da gripe e o relaxamento das medidas que estavam sendo tomadas para frear o Coronavírus.

Para impedir que ela avance e concorra com a Covid-19, que vive seu momento “volta dos que não foram”, será necessário intensificar a imunização. A vacina da gripe, disponível para todos os brasileiros nos postos de saúde, ajuda a proteger contra esse novo subtipo do Influenza, que foi batizado de H3N2 Darwin, embora ele em si não esteja contemplado na fórmula.

Primeiro caso em Cuiabá

Foi confirmado pela Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá (SMS), por meio da Vigilância Epidemiológica, o primeiro óbito de paciente residente em Cuiabá por Influenza A H3N2.

A vítima trata-se de uma mulher, de 68 anos, que estava internada em hospital privado, que notificou a Vigilância Epidemiológica no dia 20 de dezembro de 2021 de que a paciente tinha Síndrome Respiratória Aguda Grave. O óbito ocorreu no dia 30 de dezembro de 2021, mas a confirmação de que se tratava do vírus H3N2 aconteceu neste ultimo dia 04, após o recebimento do laudo do exame e confirmação do Laboratório Central do Estado.

O Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), lamentou imensamente a morte da paciente.

Foi com muita tristeza que recebi a notícia da morte desta moradora de Cuiabá pelo vírus da Influenza H3N2. Ainda estamos em pandemia, o Coronavírus ainda está circulando e agora temos mais esta ameaça, que é o vírus da Influenza. Infelizmente continuamos vivendo tempos difíceis e não podemos nos descuidar, porque agora a ameaça é dupla. Estamos trabalhando incessantemente para oferecermos atendimento e tratamento dignos para a nossa população, mas novamente eu rogo à população que se cuide. Sistema de saúde em nenhum lugar do mundo consegue dar conta de toda a população ao mesmo tempo e Cuiabá não é diferente. Estamos trabalhando muito para melhorar, mas precisamos que a população também nos ajude, tomando os cuidados necessários”, disse Pinheiro.

A gerente da Vigilância Epidemiológica, Flavia Guimarães ressalta que;

É importante reforçar que a Síndrome Gripal é transmitida pelas vias respiratórias, da mesma forma que a Covid-19. Precisamos manter todos os cuidados de prevenção, como lavagem das mãos, distanciamento social, uso de álcool 70%, uso de máscara, manter-se afastado de pessoas que apresentem sintomas, evitar aglomerações, para que não haja o contágio. Também é essencial ressaltar a necessidade da vacinação, tanto para a Covid-19, quanto para a Influenza. No caso destas doenças que são imunopreveníveis, como as Influenzas e a Covid, quando a pessoa toma a vacina, diminui a possibilidade de ter uma evolução na doença com gravidade e de ter óbito. O importante é termos todos estes cuidados e aqueles que apresentarem sintomas devem buscar uma unidade de saúde para fazer avaliação e o acompanhamento dos profissionais de saúde”, alerta.

Frear a transmissão depende de atitudes coletivas

Como a Covid-19 se tornou uma doença predominante, a população acabou prestando atenção só nela. Com a redução de casos e relaxamento das restrições, mais gente saiu sem máscara, aglomerou e descuidou da higiene. Além do fato de a pandemia não ter acabado e de a variante Ômicron já estar circulando no Brasil, a gripe em si também pode ser perigosa.

No caso do Influenza, o risco é maior para crianças menores de 5 anos, idosos e portadores de doenças crônicas, como o diabetes. Por isso, não dá para descuidar.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  PLC 53/2019; Comércio e Sefaz-MT não chegam a um consenso
Propaganda

Destaques

371 mil eleitores de Mato Grosso estão com títulos cancelados

Publicados

em

Em anos não eleitorais, a Justiça Eleitoral verifica no cadastro nacional quais eleitoras e eleitores não votaram nem justificaram a ausência nos três últimos turnos. Essa verificação é chamada de depuração do cadastro e implica o cancelamento do título eleitoral em caso de não regularização, exceto nos casos em que o voto é facultativo. A Justiça Eleitoral realiza a depuração do cadastro com o objetivo de atualizar o cadastro nacional do eleitorado.

Na última depuração do cadastro, em maio de 2019, 674.500 (93,98%) pessoas não quitaram suas pendências e tiveram o título automaticamente cancelado pela Justiça Eleitoral. Esse número representa 2,04% do eleitorado total do Estado.

Suspensão do cancelamento

Devido à Pandemia do Coronavírus, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) suspendeu as consequências para as pessoas que não votaram nem justificaram a ausência nas Eleições 2020. Desse modo, mesmo quem deixou de pagar multas referentes aos dois turnos desse pleito poderá emitir certidões de quitação eleitoral, o que pode ser feito de forma online. A suspensão do cancelamento é válida enquanto o atendimento for realizado de forma remota ou houver nova deliberação do TSE.

Títulos cancelados

No Estado de Mato Grosso, atualmente cerca de 2,2 milhões de eleitores estão em situação regular e poderão votar nas Eleições de 2022. Em contrapartida, 371.676 eleitores estão com os títulos cancelados por motivos que podem ser regularizados até a data final de 04 de maio.

Os títulos cancelados, 101.503 deles, são decorrentes de ausência às urnas nos três últimos pleitos, e 270.173 por não comparecimento à revisão do eleitorado, isto é, não fizeram a biometria.

É importante ressaltar que a coleta biométrica continua suspensa pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em função da Pandemia de Covid-19, mas isso não impede a regularização da situação. Portanto, é fundamental que as pessoas procurem o atendimento virtual o quanto antes para poderem participar do processo eleitoral.

Prazo para regularização até 04 de maio

Os eleitores que precisam regularizar o título eleitoral, solicitar transferência de endereço ou mesmo aqueles que desejam tirar a primeira via do documento, precisam se atentar ao prazo final. Esses procedimentos e qualquer outra alteração no cadastro eleitoral precisam ser feitos até o dia 04 de maio de 2022.

A data, que corresponde a 151 dias antes do pleito deste ano, é estipulada para que a Justiça Eleitoral consiga organizar o pleito. Qualquer uma destas solicitações pode ser feita pelo sistema TítuloNet. Basta preencher o requerimento online e aguardar o retorno da Justiça Eleitoral.

O atendimento virtual é orientado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE/MT), no intuito de evitar aglomerações nos Cartórios Eleitorais, como medida de prevenção à Covid-19.

Os interessados também podem tirar dúvidas entrando em contato com os Cartórios Eleitorais, por telefone, e-mail ou WhatsApp, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h30. Há ainda o Disque Eleitor (0800 647-8191), cujo atendimento ocorre de segunda a sexta-feira, entre 7h30 e 18h.

 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Silval Barbosa vive a saga de presidiário e a proeza de derrotas na justiça
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA