CORRIDA CONTRA O TEMPO

Gestores tentam se esquivar das responsabilidades; vacinas, cegueira e desorganização

Publicados

em

Estamos completando três meses que as vacinas Coronavírus e AstraZeneca chegaram ao Brasil e foram aprovadas para uso emergencial pela Anvisa. A aplicação do imunizante começou em 17 de janeiro, em São Paulo, e, desde então, Mato Grosso começou uma corrida contra o tempo para imunizar a população do grupo de risco contra a SARs-coV 2.

Neste ínterim, o Governo do Estado de Mato Grosso recebeu 618.760 doses de vacinas, distribuiu 617.084 aos 141 municípios, o que corresponde 99,7%.

Agora prestem atenção nestes números: das 618.760 doses disponibilizadas, foram aplicadas 353.323, ou seja, 57%, sendo 268.218 como primeiras doses e 87.105 como segundas doses.

Novas doses

Na madrugada desta sexta-feira (16), uma nova remessa de vacinas chegou em Mato Grosso no Aeroporto Internacional Marechal Rondon, em Várzea Grande enviadas pelo Ministério da Saúde (MS), que informou o envio de 85.050 doses para a imunização dos grupos prioritários da Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19.

Para o Estado Mato Grosso, foram enviadas 51.250 doses da vacina da AstraZeneca e 33.800 doses da CoronaVac.

Bom…, Este problema que os agentes políticos vivem falando nos últimos dias, já é do conhecimento público. Infelizmente nossos políticos não comentam das falhas, que levou nestes números baixos na aplicação das vacinas.

Então resta ao Blog do Valdemir pôr ordem no caos, colocando “os pingos nos Is”. Existem falhas no gerenciamento da vacinação e até casos de pessoas furando fila vieram a público.

Na realidade, estamos em desorganização total. Falta de planejamento em casa município e sem o bom desenvolvimento dessas atividades, todas as demais se tornam atropeladas e improvisadas, o que remete a serviços com baixa qualidade e eficiência.

O principal erro foi a falta de planejamento que deveria acontecer em dezembro de 2020, com a finalidade de verificar todas as necessidades operacionais. Em seguida como deve ser a sequência e o volume de vacinação, de acordo a sua capacidade de prestação de serviço, definir os diferentes pontos de vacinação, a forma de monitoramento de aspectos como temperatura, umidade e luz, o armazenamento, os transportes, a definição das rotas, o rastreamento e a segurança necessária para as vacinas e os insumos diretos.

Os gestores públicos de Mato Grosso deveriam ter calculado os números de vacinas disponíveis para o Estado, antes de falar pelos cotovelos, deveriam calcular antecipadamente os estoques de seringas, agulhas, Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs), câmaras frias, entre outros, para operacionalizar a vacinação.

Senhores gestores, antes de colocar a culpa em outros, contratem profissionais de administração com expertise para esse tipo de ação.

A quem possa interessar: para contornar o problema e deixar de bla…, blá…, blá…, o recomendado é que cada município faça um levantamento da demanda, verifique o local de estocagem e transporte, realize um cadastramento das pessoas que serão vacinadas, além de identificar a capacidade da mão de obra que será necessária para executar o processo. A partir disso é possível agendar o dia e o horário no qual o indivíduo receberá a vacina, organizando a questão de tempo e lugar para uma oferta de vacinação mais confortável e com pouca incidência de filas.

Resta aos gestores, como o planejamento não foi desenvolvido de forma adequada, a saída é identificar os gargalos para definir a melhor estratégia para operacionalizar.

Outro detalhe importante do processo de vacinação e que houve muitas falhas nesta fase inicial é a forma de controle das doses de vacina ministradas.

É importante que, os municípios disponibilizam em seus portais, de forma transparente, a listagem de todas as pessoas que estão sendo vacinadas.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  "Atividades não essenciais, aulas híbridas e academia em condomínios estão liberadas"
Propaganda

Destaques

Emanuel Pinheiro cuidado, o tiro pode sair pela culatra

Publicados

em

O lance mais ousado de Emanuel Pinheiro será o rompimento com o seu partido, o MDB. O prefeito cuiabano vem fazendo nos bastidores uma verdadeira jogada de mestre, e prestes a dar um “Xeque-mate”, são movimentos que quando alguns de seus adversários acordarem será tarde.

Estes movimentos do emedebista Emanuel Pinheiro não é novidade, quem conhece os seus passos na política já esperavam esse “Xeque-mate”. O alcaide cuiabano tem se dedicado em vez de aparecer para a opinião pública como grande líder oposicionista. Alguns tem a sensação errônea de que está desinteressado do embate político

As mexidas das pedras no tabuleiro de xadrez, estão sendo as mesmas desde os idos dos anos 90, quando foi escolhido líder do Prefeito de Cuiabá na época, Frederico Campos na Câmara Municipal de Cuiabá.

E está sendo a mesma que foi durante o governo de José Pedro Gonçalves Taques, o então deputado estadual Emanuel Pinheiro, montou sua candidatura costurando alianças nos bastidores para romper o acordo com alguns partidos, o hoje Prefeito da Capital de todos os mato-grossenses, trabalha com o objetivo de criar condições políticas que permitam montar uma proposta de campanha ampla que lhe dê respaldo para o combate ao Governo do Estado que pretende desencadear no momento que considere mais adequado.

Continuamos com o político habilidoso. Não é novidade para ninguém que Nenel Pinheiro trabalha nos bastidores para montar uma grande aliança partidária que lhe respalde a candidatura ao Governo do Estado em 2022 jogando na divisão da base aliada do governador do Partido Democrata (DEM), Mauro Mendes Ferreira.

Prestem atenção na formação da chapa dos candidatos para o Legislativo Estadual do Partido Progressista (PP).

O time já conta com três nomes de respeito: Vanderlucio Rodrigues atual comandante da empresa que realiza a coleta de lixo e limpeza das ruas e Avenidas de Cuiabá; Werner Santos atual presidente do MT Par e o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Luiz Binotti, que deixará o PSD.

Você está perguntado do deputado estadual Paulo Roberto Araújo do Partido Progressista (PP)? Quer saber mesmo?

Bem então vamos lá! Neste momento pré-eleitoral o que mais se vê: políticos “acendendo uma vela pra Deus e outra para o diabo”.

Nós do Blog do Valdemir chamamos de estratégia de sobrevivência no tabuleiro dos interesses políticos e econômicos entre dois polos.

Mas qual o motivo de descrever este dito popular “acende uma vela pra Deus e outra para o diabo”? O dito define a situação do deputado estadual Paulo Araújo (PP).

Vamos ao ponto: a reeleição do deputado estadual Paulo Araújo passa a ter um concorrente direto, chama-se Vanderlucio. Isso mostra que a turma de Nenel Pinheiro não estão contentes com o posicionamento dúbio do parlamentar progressista. Que hora assopra para o Palácio Paiaguas, hora assopra para o Palácio Alencastro. Não existe uma ou nenhuma conotação religiosa ou de qualquer outro tipo. As usei para facilitar a conversa com os meus colegas, principalmente os jovens que nas redações precisam sintetizar para os leitores que duas ou três frases, que todos entendam os conteúdos recheados de palavras técnicas.

Olhares políticos voltado para Pinheiro

Mesmo o prefeito cuiabano dizer que não é momento de falar ou fazer política voltada para 2022, e sempre falar que sua prioridade é terminar o seu mandato, Pinheiro chegou de ser cortejado, namorado por algumas siglas partidárias para o projeto Governo do Estado em 2022.

O Senador do Partido Liberal (PL), Wellington Antônio Fagundes, líder da sigla no Estado de Mato Grosso, o tucano Nilson Aparecido Leitão, e até mesmo o seu filho Emanuel Pinheiro Neto, o Emanuelzinho Pinheiro do PTB, fizeram um pedido de noivado e posteriormente casamento.

Eles dizem que já ate compraram a aliança para o pedido de noivado e depois o casamento. Além disso, Nenel Pinheiro disse que 3 outros partidos pretendentes que também estão de olho nesse namoro, mas que ainda não pode dizer quem são os interessados.

Hoje a minha prioridade neste momento é com a Pandemia da Covid-19 e também com a vacinação dos cuiabanos o quanto antes. Mas, algumas lideranças políticas do nosso Estado têm nos procurado para conversar, isso é natural na política com aqueles queiram discutir o processo eleitoral. Temos o modelo que ai está ofertado (Governo Mauro Mendes) e um modelo que contemple nas forças políticas democráticas dos seguimentos da sociedade que vai desde o setor produtivo aos servidores públicos ativos e inativos e que possamos escrever uma agenda positiva para Mato Grosso, com um novo modelo de desenvolvimento econômico social para o Estado. Então essa é a minha posição, e estamos conversando, mas a prioridade é a vacinação da população”.

Sobre o MDB, Nenel Pinheiro disse que que vai provocar o partido para essa discussão, Governo do Estado 2022. Emanuel Pinheiro entende que o seu partido precisa discutir um projeto de candidatura própria. E apesar da reeleição apertada, Nenel Pinheiro se diz preparado para disputar, mas não confirma sua candidatura em 2022.

Independente se Emanuel será candidato ao governo ou não. Se não for Emanuel, tem outros nomes. O que importa é a proposta, o partido precisa voltar a ser protagonista da eleição governamental”.

Nota da redação

A jogada de Emanuel Pinheiro, porém, pode dar errado caso se confirme o desgaste do “paletó” e, sobretudo porque o MDB, em jogada oportunista, mas correta pragmaticamente está se oferecendo para abrir mão de candidatura própria para apoiar a reeleição do Democrata (DEM), Mauro Mendes Ferreira.

O MDB viu uma oportunidade para demonstrar lealdade ao governo estadual, vai conseguir subir o conceito com governador e mostrará ser o parceiro preferencial.

Mas uma pergunta fica no ar…, e a parlamentar do MDB, Janaína Greyce Riva, como fica…, será que sobe no palanque do Democrata Mauro Mendes? De que lado e posição ela se encontra.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  TCE-MT acompanha comitiva de Mauro Mendes em visita às obras de reforma do Hospital Metropolitano
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA