Destaques

“Eu não serei Senador de Mato Grosso de apenas de uma região”

Publicados

em

O Centro de Eventos do Pantanal foi de festa na noite desta quarta-feira (11), na oficialização do nome do Democrata (DEM), Júlio José de Campos como o nome para a disputa ao Senado da republica no lugar da Senadora cassada do Podemos, Selma Rosane Santos Arruda, eleição esta suplementar marcada para acontecer no dia 26 de abril.

Se dizendo conhecido pela população, sobretudo pela experiência que acumulou ao longo de sua trajetória política, “Julinho” se diz pronto para assumir o Senado.

Eu tenho cheiro de povo, eu tenho serviço prestado no Estado de Mato Grosso, eu sou conhecido pela população, a população sabe quem eu sou e o que eu fiz para este Estado, e eles gostam de mim, tenho trabalho prestado em Mato Grosso, e, por isso, tenho certeza que nessa eleição aquele que o povo gosta vai ser o eleito”.

Os Democratas nesta eleição suplementar para o Senado da Republica, vai ter o apoio de partidos como o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e o Partido Trabalhista Cristão (PTC), e o Partido Liberal (PL) apoiando o nome de Júlio Campos ao Senado.

Se dizendo pronto, Júlio não perdeu oportunidade e alfinetou seu adversário político do Partido Democrático Trabalhista (PDT), o vice-governador Otaviano Olavo Pivetta, em seu discurso para os militante do Democratas, que ele (Júlio), sim esta pronto pata ir para Brasília.

Eu irei para Brasília sabendo o que eu vou fazer lá, tem candidato que já falou e avisou não vai lutar por emenda. Como pode ser isso? Nós temos muitos municípios na maioria deles carentes que dependem das emendas dos parlamentares, desses recursos, e falar isso eu acho um absurdo”.

O motivo de sua alfinetada contra o seu oponente Otaviano Pivetta, foi que em seu discurso na convenção, quando do lançamento de sua candidatura ao Senado da Republica, o candidato do Partido Democrático Trabalhista, disse que se eleito vai lutar para acabar com a farra das emendas.

Mostrando que tem bastante experiência política, Júlio Campos declarou que, se eleito, fará uma gestão voltada aos municípios com apelo à busca por emendas que beneficiem o Estado, com destaque ao pacto federativo.

Eu não serei Senador de Mato Grosso de apenas de uma região, de apenas um município, eu serei Senador de segmentos, eu serei governador do povo, e u vou lutar pela população negra, pelos índios, pelos servidores do Estado, por todos os segmentos sociais, e também quero lutar pelos empresários que estão pagando muitos impostos em Mato Grosso e no Brasil, quero sim lutar por todas as classes sociais”.

O Democrata Júlio Campos afirmou que espera uma campanha limpa nesta eleição suplementar entre os candidatos que querem a vaga de Selma Arruda do Podemos, mas destacou que está preparado para um processo eleitoral mais pesado, se for o caso.

Já diziam que chumbo trocado não dói”.

O Democrata também disse que esta com fígado novo e muita energia positiva para esta eleição, e quem esperava que estivesse aposentado, mordeu a língua.

Há três anos passei por um transplante e estou tendo uma nova oportunidade em minha vida. Hoje, estou revigorado. Todos achavam que eu estava fora de combate, estava aposentado, eu estou com 73 anos, revigorado com o pique de um garoto de 60 ou 50 anos, e muitos achavam que estava já estava encerrada a minha carreira na política, hoje eu tenho certeza da nossa vitória. Essa vaga não existia e foi criada para mim, não adianta. Deus fez essa vaga para mim”.

Representando à região Norte do Estado de Mato Grosso para compor a chapa com o Democrata Júlio Campos, esta o deputado estadual Dilmar Dal Bosco (DEM) na primeira suplência.

Já para à segunda suplência, o Democrata apontou que será do Partido Liberal (PL) e que o nome mais cotado é o do presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga.

O Senador Jayme Campos (DEM) ficara na coordenação da campanha em Mato Grosso e contará com a coordenação executiva de Nelson Botelho.

Ausência de Mauro Mendes

A expectativa era se o governador Mauro Mendes Ferreira, também do Partido Democrata (DEM) estaria na festa de lançamento do nome de Júlio Campos para o Senado da Republica.

A informação é que o governador Democrata Mauro Mendes estaria em outra agenda, na cidade de Barão de Melgaço, localizada cerca de 102 Km da capital Cuiabá na noite de ontem.

Mauro Mendes segundo correligionários do próprio Democrata, disseram que ele esta dividido entre o apoio a Júlio Campos do mesmo partido político, Carlos Favaro do PSD, foi seu secretário no escritório de Representação em Brasília, ou o vice-governador Otaviano Pivetta do PDT.

A sugestão dos Democratas para Mauro Mendes foi para que ele ficasse fora desta eleição suplementar, mas muitos correligionários do partido disseram que pelo perfil de Mauro Mendes, isso não vai acontecer.

Pedimos a ele que, como tem três amigos, três aliados dele disputando o mesmo cargo de senador, que o melhor caminho para ele era a neutralidade. Ele prometeu que ficaria isento do processo e continuaria governando bem Mato Grosso como vem fazendo”.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Novo Decreto prorroga “toque de recolher” e determina “rodízio de veículos” em Cuiabá

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Destaques

Lucimar: “Saúde Pública é “prioridade” em Várzea Grande”

Publicados

em

A Saúde Pública já foi ate mesmo tema da “Campanha da Fraternidade”, e representa o desafio principal dos gestores públicos, com um direcionamento direto para as administrações municipais, das quais são cobradas ações que possam melhorar a qualidade dos serviços desenvolvidos e prestados.

O Sistema Único de Saúde (SUS) teoricamente é o melhor Plano de Saúde do planeta, serve de exemplo até mesmo para os países desenvolvidos. Nos últimos 15 anos houve muito avanço, principalmente com a criação do Programa de Saúde da Família (PSF), porém, falta mais investimento financeiro. A melhoria da Saúde Pública no município de Várzea Grande é o desafio principal desta administração.

Uma rápida enquete realizada pelo equipe do Blog do Valdemir aponta os investimentos na Saúde estão sendo como prioridade número 1, foram 61% dos votantes; em segundo lugar vem as melhorias da Educação, para 18%; as melhorias no trânsito para 12% e a pavimentação de ruas para 9%.

Nesta semana, a Prefeita da Cidade Industrial, Várzea Grande, a Democrata (DEM), Lucimar Sacre de Campos, reafirmou seu compromisso em dobrar os recursos destinados a Saúde e a Área Social neste ano de 2020 em meio a Pandemia da COVID-19.

A chefe do Executivo Municipal apresentou o relatório resumido de prestação de contas do primeiro quadrimestre deste ano entre Janeiro a Abril, quando foram investidos na área de Saúde quase 22% das Receitas Correntes Municipais no que tange a receitas próprias.

A Lei prevê que os gestores públicos municipais devem aplicar até 15% de suas receitas em Saúde e os Estados até 12%, e nós enquanto Várzea Grande aplicou somente nos quatro primeiros meses deste ano quase 22%, ou seja, 7% a mais e vamos chegar a 30% até o final do ano, repetindo os índices dos anos anteriores”, explicou a prefeita sinalizando que a prioridade continuará sendo as áreas essenciais, como Saúde, Social, Educação, Segurança e Obras.

Citando os princípios constitucionais da Administração Pública, o LIMPE, Legalidade; Impessoalidade; Moralidade; Publicidade e Eficiência, a Prefeitura de Várzea Grande quer demonstrar a população que vem cumprindo além do que a Lei determina em torno das receitas próprias do município de Várzea Grande para as áreas essenciais principalmente a Saúde, Social e Segurança que tem sido muito utilizadas neste momento.

Com base na arrecadação de impostos apuradas de 1 de janeiro até 30 de abril, incluindo as transferências obrigatórias do Governo Federal, se tem uma receita da ordem de R$ 230.824.172 milhões, dos quais R$ 150.284.377 milhões são referentes as transferências.

Já o secretário de Saúde de Várzea Grande, Diógenes Marcondes, apontou que foram aplicados em Saúde Pública de Várzea Grande, nos quatro primeiros meses de 2020, recursos da ordem de R$ 24.642.739 milhões, R$ 7.233.283 milhões a mais do que o previsto na Lei para ser aplicado no setor e frisou que se descontar do total de receitas arrecadadas as transferências obrigatórias do governo federal se terá mais de 30,6% aplicados em Saúde Pública.

Aqui nestes valores estão demonstrados os compromissos da atual administração com a Saúde Pública e pode apostar que iremos fechar o ano com mais de 30% das receitas aplicadas neste que se tornou o mais importante setor da economia e da vida das pessoas, frisou o titular da pasta.

Além da Saúde que atingiu 21,23%, a Educação que tem previsão constitucional de até 25% das receitas públicas em Várzea Grande recebeu 25,55%.

Estes índices demonstram o compromisso da gestão da prefeita Lucimar Campos, pois ainda estávamos nos quatro primeiros meses do ano e já havíamos cumprido os percentuais que eram do ano inteiro, disse a secretária de Gestão Fazendária, Lucinéia dos Santos Ribeiro.

Lucimar Sacre de Campos assinalou que semana passada o Hospital Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande abriu 10 novos leitos de UTI para casos não COVID-19 com recursos próprios municipais e ajuda do Governo Estado e ponderou que mesmo no Plano de Contingência, a estrutura de Saúde da cidade ter ficado como não COVID-19, o atendimento ambulatorial para os casos COVID são realizados nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) IPASE e Dr. Farid Seror (Grande Cristo Rei) e no Hospital Pronto Socorro para triagem e transferência dos casos de Coronavírus para as unidades referências que são muitas no Estado e que na Região Metropolitana são o Hospital Estadual Metropolitano em Várzea Grande, o Hospital Estadual Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá, o antigo Pronto Socorro Municipal de Cuiabá e o Hospital São Benedito.

O titular da Saúde lembrou que novas medidas estão sendo adotadas e podem ser anunciadas em breve.

Temos mais ações sendo planejadas e implementadas, mas só serão anunciadas quando se tiver certeza absoluta das mesmas. Neste momento de pandemia dependemos de uma série de fatores externos, como mais servidores da Saúde, mais equipamentos, mais medicamentos e mais insumos e como estamos fazendo tudo dentro do devido processo legal com licitação, compras em valores corretos e transparentes, por isso precisamos adotar e colocar em prática protocolos que buscam resultados neste momento, explicou Diógenes Marcondes.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  "Lockdown" é necessário para conter o "Coronavírus"
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA