Destaques

Eleição para Senador em Mato Grosso está suspensa pelo TSE

Publicados

em

Conforme o despacho a justificativa para a suspensão se dá em relação aos casos de “Coronavírus”.

Em seu despacho divulgado na tarde desta terça-feira (17), a ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Maria Pires Weber, suspendeu a realização da eleição suplementar para a vaga de Senador da Republica para a vaga de Selma Rosane Santos Arruda, do Podemos, que estava pronto para acontecer no dia 26 de abril no Estado Mato Grosso.

A cassação de Selma Rosane Santos Arruda, por 6 a 1, se deu por suposto Caixa 2 de R$ 1,2 milhão. Segundo a quebra de sigilo, os valores, que foram gastos pela Juíza aposentada em sua campanha, haviam sido transferidos por seu primeiro suplente, Gilberto Possamai.

A Senadora cassada já foi comparada ao Juiz Sergio Moro, em razão da época em que foi Juíza no Mato Grosso e tinha uma atuação considerada rigorosa. Selma foi eleita Senadora pelo PSL, mas depois mudou de partido, indo para o Podemos. Selma e um de seus suplentes, Gilberto Possamai, tinham sido declarados inelegíveis por 8 anos pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Mato Grosso.

Conforme o despacho da ministra do Tribunal Superior Eleitoral, Rosa Weber, a justificativa para a suspensão se dá em relação aos casos de Coronavírus (Covid-19) e que a aglomeração de pessoas nas campanhas e no ato da eleição pode infectar grande parte da população de forma simultânea.

Rosa Maria Pires Weber, em seu despacho, diz que a eleição e todos os seus prazos estão cancelados até nova deliberação, podendo ainda ser realizada em outubro junto das eleições municipais 2020.

Suspensão das eleições

Determino a suspensão da realização da eleição para um cargo de Senador e respectivos suplentes no Estado de Mato Grosso programada […] para ocorrer em 26 de abril de 2020, até nova deliberação sobre a matéria”, pontuou, detalhando sobre a condição de unificação.

Será designada nova data, com maior brevidade possível, atendidas as necessidades inerentes à preparação daquela eleição, sem descartar a possibilidade de ser ela realizada simultaneamente às eleições municipais de 2020”.

O superveniente agravamento da capacidade de o novo “Coronavírus” infectar grande parte da população de forma simultânea, mesmo em locais que não tenham sido identificados de transmissão interna, e a recente pacificação da patologia como pandemia recomendam providências tendentes a restringir a aglomeração de pessoas, como ocorre durante a realização das eleições”, diz ainda o despacho da ministra Rosa Weber.

Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde foi quem fez o pedido de cancelamento da eleição suplementar.

Eleições

As eleições marcadas para dia 26 de abril já contava com a sinalização de 12 candidatos, a Justiça Eleitoral deve agora confirmar se essa condição e seus nomes permanecerão ou em caso de data futura abrirá espaço para os partidos promoverem novas inclusões de candidaturas ou mesmo a troca de nomes colocados.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Emanuel o que aconteceu que a "Pandemia" tomou conta de Cuiabá?

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Destaques

SINDIMED/MT alerta; “Cresce o número de médicos infectados por “Covid-19″”

Publicados

em

Todos os indicadores estão mostrando que estamos em ascensão de casos e óbitos. Os números dobram a cada semana. É importante que as pessoas, mesmo no esgotamento do isolamento, permaneçam em casa. Não há indicador algum para ficarmos otimistas e dizer que se pode relaxar”.

Foi o que disse o medico infectologista de um grande hospital da Capital ao Blog do Valdemir durante esta semana.

O infectologista, além de se preocupar com o adoecimento dos profissionais de Saúde que atuam no front do novo “Coronavírus”, salienta que estamos num momento em que prezar pelo “Isolamento Social” deve ser uma missão de toda a sociedade, por mais dura que essa medida seja.

Em Mato Grosso, dois médicos morreram de Covid-19 e há registro de 112 infectados desde o início da “Pandemia”, segundo levantamento feito pelo Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM).

E como as unidades de Saúde, tanto públicas como privadas, não conseguem organizar um fluxo adequado para o atendimento aos casos de pacientes com sintomas de “Covid-19”, o quadro de médicos e outros profissionais da saúde que estão atuando na linha de frente deve ser ainda pior.

O quadro deve se agravar já que os médicos estão atendendo pacientes em salas sem ventilação adequada para diminuir a transmissibilidade do vírus, consultórios com janelas que muitas vezes dão para corredores dentro do próprio estabelecimento de saúde, isso tudo torna as unidades de saúde um lugar “perigoso”, muito insalubre“, alerta o diretor de comunicação do Sindicato dos Médicos de Mato Grosso (Sindimed/MT) Adeildo Lucena.

Em reunião com a Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, CRM e outros sindicatos, o Sindimed discutiu-se a ideia de se atender pacientes em tendas que teriam a ventilação necessária para evitar que mais profissionais de saúde e pacientes que buscarem atendimento médico nas unidades de saúde se contaminassem propagando ainda mais o Covid-19.

Outra sugestão é se colocar equipes para monitorar os pacientes. E seria necessário que realmente o poder público disponibilizasse os medicamentos ([vitamina D, zinco, prednisona, ivermectina, Azitromicina,, nitazoxamida, Enoxaparina e hidroxicloroquina)para as pessoas independente da classe social ou de ter o atendimento na UPA ou em um hospital para tratar no início impedindo que o quadro se agrave para evitar novas internações, já que estamos com 94% da taxa de ocupação de UTIs em Mato Grosso, um colapso. Não é só atender e medicar. Se faz necessário acompanhar os pacientes suspeitos ou já confirmados. A coordenação dos cuidados é muito importante para se antecipar o agravamento dos casos. Com uma coordenação adequada isso pode ser feito na atenção primária, que dispõe de profissionais competentes e comprometidos. Só precisam de proteção e condições de trabalho. Médicos têm, o que falta é gestão“, sugere Adeildo.

Ele ainda expôs que o Sindicato recebeu denúncias de médicos que estão na linha de frente de combate ao Covid-19 que os pacientes têm voltado aos consultórios afirmando que não estão encontrando os medicamentos.

Nenhuma unidade de saúde de Cuiabá possui os medicamentos e não tenho notícias que já existiram alguma vez. Tem muitos médicos prescrevendo precocemente esses medicamentos, mas os pacientes não encontram nem nas farmácias. Quando muito conseguem mandando manipular, afirma Adeildo Lucena, diretor de Comunicação do Sindimed.

O Sindimed alerta que se medidas não forem tomadas, a população vai sofrer mais ainda, visto que um médico a menos na linha de frente gera mais lentidão no atendimento e lotação nas unidades de saúde.

Esse é o momento de pensar em diminuir a transmissão, não podemos deixar a população sem atendimento, mas os profissionais de saúde não podem trabalhar infectados e se tornarem vetores do Covid-19. Nós nos formamos para salvar vidas, mas não deixamos de ser humanos suscetíveis a esse vírus como qualquer pessoa“, desabafa o médico do Sindimed.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  População resiste em aderir a quarentena obrigatória, pode resultar em “Lockdown” em Mato Grosso
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA