GAECO VEM AÍ

Desvios na pandemia: MT em alvoroço, sebo nas canelas, vem aí o Gaeco

Publicados

em

Entendam de uma vez por todas…antes de fazer suas maracutaias, saiba que o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO), foi criado no dia 20 de dezembro de 2002, pelo então governador do Estado de Mato Grosso na época, José Rogério Salles, e vai te pegar.

E aí você ficará em alvoroço como estão alguns agentes públicos e alguns dos nossos amáveis políticos da terra de Rondon.

Como se sabe, o Gaeco é uma espécie de elite dentro do Ministério Público Estadual de Mato Grosso (MPE/MT), atuando principalmente no combate aos grandes crimes de corrupção.

Gaeco vai te pegar

Entendam nossos amáveis prefeitos, vereadores e secretários do Estado de Mato Grosso, nas Operações do Gaeco inexiste a possibilidade de ocorrer a “impunidade”, visto que a equipe que compõe a “elite” do Ministério Público tem se empenhado, com notável dedicação, a apuração dos fatos e a responsabilização das pessoas (tá entendo?).

Mas democracia e repúblicas, é extremamente desejável que o Gaeco seja efetivo para prevenção e repressão de práticas ilícitas. Entretanto, jamais se poderá admitir, sob qualquer pretexto, que o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO), Delegacia Especializada de Combate à Corrupção em Mato Grosso (Deccor), Polícia Civil e Militar por intermédio de seus agentes, optem por “atalhos” ilegítimas e complemente desnecessárias.

Afinal de nada adianta a máxima especialização destes nossos heróis, nas mais prestigiadas universidades do mundo, se não conseguir respeitar a Constituição, as leis brasileiras e as convenções e os tratados internacionais das quais o Brasil é signatário.

Então se preparem quem fez coisas erradas de fevereiro de 2020 até 18 de julho de 2021…sebo nas canelas camaradas, eles estão ai batendo na sua porta.

Fevereiro 2020

17 meses o Governo Federal, anunciou a regulamentação de dispensa de licitação prevista na Lei 13.979/2020, para aquisição de bens, serviços de insumos destinados ao enfrentamento da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). O nosso querido Mato Grosso e os nossos prefeitos, fizeram 843 aquisições que somam a marca de R$ 150 milhões.

Até aí beleza, mas agora vem o “sebo nas canelas”, entorno de 80% dos contratados homologados pelo Estado e Municípios utilizaram a dispensa de licitação.

Está dispensa de licitação incluem desde compra de álcool em gel, máscaras, teste de Covid-19 e até alguns equipamentos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Também consta: contratos para execução de serviços de desinfecção, medicamentos, aquisição de ventilador pulmonar, contratação de profissionais de saúde e de leitos de UTI.

Vem aí o Gaeco

Mato Grosso em alvoroço, vem aí Operações do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO).

O promotor Roberto Turim já sinalizou, os agentes estão colocando os coletes, poucos detalhes para que o Gaeco invada alguns apartamentos luxuosos, mansões e fazendas, e para complicar ainda mais a vida dos agentes públicos/políticos, desonestos o Ministério Público Federal (MPF) em Mato Grosso terá um Gaeco nos moldes do Ministério Público Estadual (MPE).

Temido e implacável contra seus investigados, o promotor de Justiça Roberto Turin assumiu recentemente o comando do Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Com Roberto Turin a frente do Gaeco, as manchetes dos jornais voltarão a destacar políticos, empresários e agentes públicos. Nos últimos três anos, o Gaeco parecia adormecido, bastante anêmico e não vai faltar psicotrópicos nas prateleiras das farmácias de Cuiabá e Várzea Grande.

A medida consta em uma portaria assinada pelo Procurador Geral da República (PGR), Augusto Aras, determinando a criação até dezembro de uma Comissão Provisória que vai planejar a atuação do grupo, definindo prioridade, plano de ação e diretrizes.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Polícia Federal deflagra "Operação DAIA" contra esquema de corrupção no DNIT
Propaganda

Destaques

Estratégias para retorno das aulas em MT é apresentado pela Seduc no TCE

Publicados

em

Ações de acolhimento de alunos e professores, avaliações diagnósticas e estratégias para a retomada da aprendizagem foram alguns dos temas abordados durante reunião técnica ampliada entre o Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT) e Secretaria de Estado de Educação (Seduc). O debate aconteceu pouco mais de um mês após o retorno das aulas em formato híbrido na rede estadual de ensino.

Realizado de forma híbrida, o encontro foi proposto pelo presidente do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT), Conselheiro Guilherme Antonio Maluf, e contou com quase 500 visualizações de representantes de 24 municípios do estado.

Na ocasião, o presidente do Tribunal de Contas, Conselheiro Guilherme Antonio Maluf, falou sobre a importância de dar transparência à política de retorno às aulas.

Estávamos preocupados com a situação, então o secretário nos expôs como o trabalho tem sido executado para que o retorno seja eficiente e compense os problemas enfrentados ao longo desses quase dois anos de defasagem“.

O presidente se prontificou ainda a doar computadores seminovos do Tribunal de Contas às escolas indígenas do estado que ainda não tem acesso à internet.

Fiz a proposta para que, assim que for implantada internet nas escolas indígenas, possamos ajudar na entrega de equipamentos. São aparelhos seminovos que temos no nosso parque de máquinas“, disse.

Considerando as medidas de biossegurança e um retorno eficiente de discentes e docentes às salas de aula, o titular da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Allan Porto, anunciou que o Governo do Estado fez investimento de mais de R$ 200 milhões na aquisição dos notebooks para todos os professores, internet de alta velocidade, materiais para para sanitização como álcool, máscaras e termômetros.

Neste contexto, segundo ele, a Pasta tem atuado para identificar os diferentes níveis de aprendizagem e as principais lacunas de conhecimento. Desta forma, as aulas foram retomadas com 50% da capacidade de ocupação das unidades. Além disso, a Seduc trabalha em um planejamento estratégico para recuperar a aprendizagem, o que envolve formação continuada, avaliação diagnóstica e intervenção pedagógica.

Os esforços incluem ainda análise histórica, projeções e medidas para assegurar o cumprimento dos limites mínimos constitucionais e legais de aplicação dos recursos em Educação, incluindo percentuais do novo Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

Também estamos contratando professores articuladores que vão trabalhar nas aulas de reforço no contraturno, afirmou o secretário.

Allan Porto destacou ainda a atuação do Tribunal de Contas do Estado, que, em sua opinião, tem agido na prevenção, orientação e construção de soluções junto aos gestores.

As estratégias vão desde material didático a investimentos na alimentação e transporte escolar. Os resultados já começam a aparecer e tenho certeza que com essas ações em conjunto com instituições vamos recuperar a aprendizagem dos estudantes“.

Guilherme Maluf chamou a atenção para a atuação da Corte de Contas na adesão dos municípios mato-grossenses à plataforma Busca Ativa Escolar, criada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

A proposta já avançou bastante. Hoje, apenas 15 municípios ainda não aderiram à plataforma, o que é fundamental para que possamos chegar ao total de 100% das crianças em sala de aula“.

O objetivo da transmissão online foi assegurar a participação de todos os atores envolvidos no processo de retorno às aulas presenciais, tais como prefeitos, secretários municipais de Educação, membros dos conselhos municipais e estadual de Educação, vereadores, deputados estaduais e demais interessados.

A reunião pode ser acompanhada pelo Canal do TCE-MT no YouTube (clique aqui).

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Luciane Bezerra comunica sua saída do Intermat e diz que disputa prefeitura de Juara
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA