Destaques

“CPI do Paletó” realiza 1ª reunião nesta segunda-feira

Publicados

em

Após ter sido considerado ilegal pelo Juiz Wladys Roberto Freire do Amaral o ato do vereador Justino Malheiros Neto (PV), que na época respondia como presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, em fazer a nomeação dos vereadores Adevair Batista Cabral (PSDB) e Mario Antonio Moyses Nadaf (PV) como membros da CPI do Paletó, e com isso a anulação da Resolução 15, de 16 de novembro de 2017, dando 48 horas para o atual presidente da Casa de Leis, Misael Oliveira Galvão, editasse um novo ato de instalação da CPI, que deveria ser composta apenas pelos vereadores que a requereram.

A decisão, obtida em ação movida pelo vereador Diego Arruda Vaz Guimarães (PP), o magistrado também teria determinado que o prazo de 120 dias para a CPI ser concluída os seus trabalhos contando a partir da nova instalação.

Só poderiam fazer parte da CPI os vereadores Marcelo Bussiki (PSB), Felipe Wellaton (PV), Abílio Júnior (PSC), Joelson Amaral (PSC), Dilemário Alencar (PROS), Gilberto Figueiredo (PSB), Elizeu Nascimento (PSDC), Diego Guimarães (PP) e Toninho de Souza (PSD) para que fosse feita uma investigação da conduta do prefeito Emanuel Pinheiro por ter aparecido em um vídeo recebendo dinheiro em espécie do então Chefe de Gabinete de Silval Barbosa, Silvio Correia no período em que ele era deputado estadual.

Nesta na segunda-feira (14), às 8h, os vereadores membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) criada para investigar o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), reúnem-se para dar início aos trabalhos. Será a primeira reunião da comissão após a nomeação dos novos membros da CPI do Paletó.

Fazem parte da comissão o vereador Marcelo Bussiki (PSB), que segue como presidente da comissão, além dos vereadores Toninho de Souza (PSD) e Sargento Joelson (PSC), relator e membro da CPI, respectivamente.

Durante essa primeira reunião devem ser reapreciados novos pedidos de oitiva de autoridades já ouvidas pela CPI, na ocasião em que a comissão tinha outro relator e membro, bem como deve ser deliberado sobre quais requerimentos de informações serão formalizados.

Ao todo, a CPI terá 120 dias para sua conclusão, podendo ser prorrogada mediante a solicitação da comissão. O relatório final deverá ser colocado para aprovação do plenário.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  PEC da Previdência fica para a próxima semana

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Destaques

Partidos que tempos atrás era “certeira” hoje vê iniciar o “xadrez político” e nem sabe para onde vai: DEM e PSDB

Publicados

em

Enquanto as Executivas do PSDB e dos Democratas, ainda buscam uma saída, neste ano atípico, os articuladores políticos das demais siglas partidárias se colocaram a frente de combate do tabuleiro de xadrez político, primeiro os “bispos” e as “torres“, hoje líderes consolidados.

Entretanto, antes mesmo de movimentarem seus “peões” e “cavalos“, líderes em cargos públicos, os partidos definiram como principais peças para o jogo, o “rei” e a “rainha” de cada sigla, ou coligação majoritária.

Temos até o momento quatro “reis” e uma “rainha”, sendo que, dois são vereadores: Abílio Jacques Brunini Moumer, o “Abílio Junior”, hoje no Podemos, e Felipe Tanahashi Alves, o “Felipe Wellaton”, seus nomes foram referendados na semana passada pelos seus partidos. Estão tentando viabilizar seus nomes.

Abílio Junior e Felipe Wellaton são considerados a principal voz da oposição dentro da Câmara de Cuiabá, mas estarão de lados opostos neste eleição municipal de 2020 mesmo sendo aliados no Parlamento Municipal. Já que o grupo terá 2 candidatos.

Agora vem um da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL/MT), deputado estadual Ulysses Lacerda Moraes, este com pretensões para 2022 e está se movimentando nos bastidores e pode ser candidato a Prefeito de Cuiabá pelo PSL.

E, nesta segunda feira (10), um candidato que promete endurecer o jogo, deixou o comando do programa Resumo do Dia na TV Brasil Oeste, para poder disputar o pleito eleitoral.

Roberto França já saiu batendo, ele disse em entrevistas, que, na campanha pela Prefeitura de Cuiabá, enfrentará duas candidaturas “poderosas”, uma do prefeito cuiabano Emanuel Pinheiro do MDB, que continua no muro, e outra apoiada pelo governador Democrata (DEM), Mauro Mendes Ferreira.

O apresentador Roberto França, chamado carinhosamente de “O Gordo”, até improvisou um slogan da pré-campanha, disse que será uma disputa do “tostão” contra o “milhão”.

O ex-prefeito de Cuiabá e atualmente no Partido Patriota, Roberto França Auad, que já vem articulando nos bastidores com lideranças de outras siglas partidárias para apoio político e principalmente se articulando com quem decide: o eleitor.

Estou pronto. Deixo o Resumo do Dia e, a partir de agora, vamos conversar com os nossos companheiros e com os demais partidos para junto caminharmos, nesta campanha eleitoral. Tenho trabalho comprovado, experiência e amor por Cuiabá“, disse o apresentador do Programa Resumo do Dia, Roberto França.

E a “rainha”, do tabuleiro político de Cuiabá, vem do Procon, Gisela Simona Viana de Souza do PROS, é considerada uma Campeã de votos, e conseguiu junto do eleitorado mato-grossense, 50.682 mil votos, que optou por recuar do Senado da Republica para disputar o pleito de Cuiabá. Apesar de estar pouco tempo na vida política, chegou de ser oficializada como o nome da sigla para a disputa de Senadora da Republica pelo Partido Republicano da Ordem Social (PROS), pelo seu bom desempenho na eleição passada. Mas, desistiu do projeto Senado.

Sabemos que será uma disputa bastante pesada, temos que ter garra, e o jogo é pesado, os concorrentes têm muito dinheiro e uma megaestrutura de campanha. Mas, se tem uma coisa que a vida me ensinou, foi vencer na adversidade. Estamos trabalhando na construção de um projeto que visa uma gestão eficiente, limpa e que enfrente os desafios pós-pandemia com coragem, sem perder a ternura“.

Querem saber do DEM e PSDB? Ambos não definiram os nomes que devem representar os partidos na disputa eleitoral, porque, a disputa está travada entre os diretores da executiva estadual e municipal das duas siglas. Em 2019, os dirigentes tucanos defendiam o nome do empresário Luiz Carlos Nigro. Os edis cuiabanos tucanos, defendem o nome de Emanuel Pinheiro para a reeleição.

Agora surgiu o nome do empresario no ramo de comunicação, Dorileo Leal e do ex-vereador Paulo Borges e, ainda os comentários nos bastidores da Assembleia Legislativa de Mato Grosso e no Palácio Paiaguas é a possível aliança entre o DEM e o PSDB, apoiando Nilson Leitão para o Senado da Republica com nome de Júlio José de Campos como seu suplente, vem tirando sono do servidor número 1 do Estado.

Como se pode observar, a estratégia até o momento apresentado pelos articuladores políticos são apenas posicionamentos, tudo para dar um tiro de canhão ou bazuca logo de cara. Assim amedrontar e acuar adversário político.

Sabemos que no final das contas, no âmbito da política, ninguém é inimigo de ninguém e assim, todos os partidos deixam aberta a vaga de vice para possíveis acordos partidários.

A situação de tal modo pode fazer com que alguns pré-candidato venham a tornarem suas candidaturas inviáveis. Resultando a abertura de uma possível negociação de aliança.

Quem são os candidatos?

Dos cinco citados pelo Blog do Valdemir, somente dois: Roberto França e Gisela Simona, demais candidaturas inviáveis. Emanuel será candidato a reeleição. DEM precisa resolver sua crise interna, porém, pode vir com Marcelo Bussiki.

PS: a menos de três meses das eleições um profundo e ensurdecedor silêncio pelo lado de Blairo Maggi, nunca podemos nos esquecer de que os partidos ideológicos e seus líderes costumam centrar seus esforços nas grandes cidades de um Estado. São apostas que definem um ranking de importância política.

Nota da redação

As eleições em Cuiabá e Várzea Grande têm seus respectivos futuros ligados. Isso porque a cada peça no xadrez que se move na capital do estado, desdobra-se na cidade de Couto Magalhães. E assim o projeto majoritário do DEM pode sair de cena e apoiar Emanuel Pinheiro.

O que podemos afirmar é que as “pedras cantadas” (nomes citados pelo Blog do Valdemir) desse tabuleiro articulam os movimentos, a esquerda ou a direita, em suas bases para avanços em busca do xeque-mate. Porém, no Alencastro o prefeito está dizendo que “tá” vivo com vídeos mostrando o antes e depois, apesar de sua popularidade não superar a casa de dois dígitos.

Enfim, enquanto aguarda o caminho do Senador do Partido Democrata (DEM), Jayme Veríssimo de Campos, Mauro Mendes Ferreira e Blairo Borges Maggi, este do Partido Progressista (PP), o jogo está aberto em Cuiabá. A grande pergunta: quem conseguirá manter o fôlego competitivo quando a campanha de fato estiver nas ruas e nos meios de comunicação?

Outra questão em jogo. Uma eventual união da esquerda, já no primeiro turno, entretanto, o Blog do Valdemir, garante que é algo pouco possível, afinal cada legenda buscará defender o seu projeto e sua visão para o estado, se preocupando em 2022, mas no segundo turno a aliança é certa.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Partidos que tempos atrás era "certeira" hoje vê iniciar o "xadrez político" e nem sabe para onde vai: DEM e PSDB
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA