MUNICÍPIOS NA FASE 3 DA COVID-19

Covid-19: Em Mato Grosso 13 municípios entram na fase AMARELA

Publicados

em

A classificação de risco para adoção de medidas restritivas de controle e combate ao Coronavírus possui quatro níveis divididos por cores: baixo (verde), moderado (amarelo), alto (laranja) e muito alto (vermelho).

Os níveis são determinados pela taxa de ocupação dos leitos de UTI da rede pública estadual de Saúde e pelo índice de crescimento da doença nos municípios. A classificação ainda leva em conta os municípios com menos de 40 casos ativos e aqueles com mais de 40 casos ativos da Covid-19.

Mas, nesta semana, a região já apresenta indicadores da epidemia de Covid-19 compatíveis com a fase amarela, graças à piora da doença na capital e em outras cidades no interior do Estado.

Nesta segunda-feira (11) a Secretaria Estadual de Saúde (SES/MT) divulgou o Boletim Informativo n° 309 com o panorama da situação epidemiológica da Covid-19 no Estado de Mato Grosso, e neste total, 13 municípios estão classificados com risco “moderado” para o novo Coronavírus são eles: Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Barra do Garças, Sinop, Cáceres, Sorriso, Lucas do Rio Verde, Colíder, Juara, Nova Mutum, Tangará da Serra e Nova Canaã do Norte.

Dentre os 10 municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (42.811), Várzea Grande (13.088), Rondonópolis (13.013), Sinop (10.209), Sorriso (8.505), Tangará da Serra (8.401), Lucas do Rio Verde (7.899), Primavera do Leste (5.990), Cáceres (4.426) e Nova Mutum (4.001).

E de acordo com a definição dos riscos, é necessária a adoção de medidas restritivas para o controle da propagação do Coronavírus nas cidades.

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

Medidas restritivas

De acordo com os Decretos 222 e 532, as medidas restritivas para os municípios na classificação AMARELA para conter o avanço da Covid-19 são:

Amarelo

– Nível de Risco MODERADO:

a) implementação e/ou manutenção de todas as medidas previstas para o Nível de Risco BAIXO;
b) quarentena domiciliar para pessoas acima de 60 anos e grupos de risco definidos pelas autoridades sanitárias;
c) suspensão de aulas em escolas e universidades.

Também na Fase 3, a Amarela é permitido o atendimento presencial em bares, restaurantes, salões de beleza, barbearias, academias, shoppings, comércios de rua, escritórios em geral e concessionárias pelo período de oito horas por dia, com capacidade limitada a 40%, com exceção das academias, que tem capacidade limitada de 30%.

Risco Baixo

– Classificação VERDE

Outros 128 municípios estão na classificação “baixo”, indicada pela cor verde.

Boletim Covid-19

Na tarde desta segunda-feira (11), a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) também divulgou os números que foram 191.106 casos confirmados da Covid-19 no Estado de Mato Grosso, sendo registrados 4.694 óbitos, 1.747 novas confirmações, 6.799 estão em isolamento domiciliar e 178.722 estão recuperados de casos em decorrência do Coronavírus.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 253 internações em UTIs públicas e 264 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 62,78% para UTIs adulto e em 30% para enfermarias adulto.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Senador Davi Alcolumbre chama Júlio Campos de “Nosso General em Mato Grosso”
Propaganda

Destaques

Propostas dos pantaneiros serão avaliadas pelo Comitê de Gestão do Fogo

Publicados

em

A segunda reunião para elaboração do plano de prevenção de incêndios florestais no Pantanal Mato-grossense integrou os Guardiões do Pantanal, Sindicato Rural de Poconé, Sesc Pantanal, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema) e Polícia Ambiental. Os principais temas discutidos foram a formação de brigadistas e ainda melhoria na estrutura organizacional e logística para situações de emergência.

O coronel do Corpo de Bombeiros, Dércio Santos da Silva, explicou durante o encontro convocado pelos Bombeiros, realizado na ultima quinta-feira (21), que o Governo do Estado está na fase de coleta de propostas, que serão todas avaliadas e uniformizadas pelo Comitê de Gestão do Fogo e, em seguida, encaminhadas para as Pastas responsáveis.

Por enquanto, segundo coronel Dércio Santos, não existe um valor estipulado para as ações que envolvem as fases de prevenção, preparação (capacitação dos agentes), resposta e responsabilização. Porém, as perspectivas são otimistas.

Conforme a agenda do governo, no final da próxima semana, as secretarias vão apresentar o Plano Plurianual e, nele, já serão contempladas algumas ações. No caso da Sema, exemplifica o coronel, haverá a demanda pela locação de viaturas e áreas para os militares operacionalizarem as etapas do trabalho.

Foi uma reunião de governo que contou com os órgãos responsáveis diretamente, Sema, Sesp e Casa Civil e convidamos alguns agentes para que eles pudessem participar com propostas. Todas as sugestões foram de muito valor porque buscam a uniformidade e a integração de forças em busca do bem comum, disse o coronel do Corpo de Bombeiros, Dércio Santos da Silva.

Para o presidente do Sindicato Rural de Poconé e integrante grupo Guardiões do Pantanal, Raul Santos Costa Neto, a oportunidade dada pelo Estado, de participação dos pantaneiros no processo, é de suma importância para evitar a tragédia vivenciada pela região durante os incêndios florestais de 2020, que consumiram 2,3 milhões de hectares na região.

Nossa preocupação imediata é com a capacitação de brigadistas. No ano passado, sentimos muita falta desta qualificação e queremos habilitar pessoas para atuar no enfrentamento caso ele seja necessário. Também queremos agir de forma mais organizada, otimizando os recursos financeiros e humanos, para conseguirmos mais eficiência, afirmou Raul Santos.

A união faz a força

A superintendente do Sesc Pantanal, Christiane Caetano, explica que há 23 anos o Sesc faz o planejamento prévio para o combate de incêndios durante a estiagem e tem a sua própria equipe de brigadistas, além de funcionários treinados em diversos setores. Contudo, a complexidade da situação vivida no ano passado mostrou ser essencial uma maior integração com o governo, moradores e entidades locais.

De acordo com a superintendente, o Sesc, que está presente desde a primeira reunião, quer participar das tratativas, contribuir no que for necessários e atuar em ações organizadas. Vale lembrar que durante os incêndios florestais do ano passado, o Sesc abrigou em sua área o centro de Coordenação da Operação de Combate ao Fogo.

1º Encontro

Na ultima quinta-feira (13), houve uma primeira reunião de alinhamento que integrou a Defesa Civil do Estado e do Município, Sesc Pantanal, Prefeitura de Poconé, Sindicato Rural de Poconé e Guardiões do Pantanal. Nela, foram avaliadas algumas ações realizadas no ano passado e iniciada a construção das propostas que seriam apresentadas ao governo do Estado.

Guardiões do Pantanal

Os Guardiões do Pantanal são um grupo formado por integrantes das cadeias produtivas do Pantanal Mato-grossense. Eles se uniram após o desastre ambiental das queimadas, vivido em 2020, e pretendem realizar e apoiar ações que contemplem o desenvolvimento sustentável da região e a valorização da cultura pantaneira.

Também irão acompanhar e cobrar mudanças na legislação e a implantação dos projetos de infraestrutura que auxiliem a sobrevivência e evitem que a região seja consumida pelo fogo.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  "Combate ao Covid-19"; Prefeitura de Leverger apresenta medidas para atender as necessidades da população
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA