Destaques

Cenário politico de Mato Grosso para 2018 começa a ser desenhado e promete ser acirrada

Publicados

em

Quem pensa que as Eleições de 2018 para Governo do Estado e Senado da Republica estão longe de acontecer, se engana. Nos bastidores, as articulações políticas para disputa Majoritária em Mato Grosso, é assunto obrigatório em todas as rodas de conversas políticas da capital.

A disputa pelos cargos majoritários para o ano que vem, promete ser acirradíssima e já começa a ser articulada não só nos bastidores, mas na mídia escrita e falada, e principalmente nas redes sociais.

Nomes como do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), dos senadores Wellington Fagundes (PR), do hoje ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), do ex-governador Jayme Campos (DEM), do governador Pedro Taques (PSDB), Juarez Costa (PMDB) e Selma Arruda, juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, são sempre lembrados. Entretanto, a magistrada precisa se desligar do cargo para assinar ficha de filiação a algum partido de sua preferencia.

A quem diga que alguns dos partidos mato-grossenses já estão de olho na Magistrada.

Apesar de alguns estarem fazendo o dever de casa direitinho, em reuniões constantes pela cidade, procurando ampliar os maiores números possíveis de potenciais aliados. Outros, ainda não se deram conta que 2018 está logo ali, e que se não se movimentarem, ficarão para trás rapidamente, como, aliás, já está acontecendo.

Entre as diversas composições de bastidores, uma delas nos chama atenção: Pedro Taques (Governador), Mauro Mendes (Senado) e Blairo Maggi (Senado). O sonho de consumo do PSDB e PSB.

O ministro da Agricultura, senador licenciado Blairo Maggi, vem sendo cortejado para compor uma tríplice aliança com vistas em 2018, já que será o principal interlocutor do PP para fechar o alinhamento com tucanos e socialistas. Alguns membros do PSB entendem que essa trinca seria imbatível no ano que vem.

Entretanto, outros cenários não podem ser menosprezados, como o senador Wellington Fagundes para governador, tendo o ex-prefeito de Sinop, Juarez Costa (PMDB) como vice, e Jayme Campos (DEM) para o Senado.

É bom lembrar aos senhores pré-candidatos, que eleição se ganha com grupo. Se não tiver um grupo forte, uma boa articulação política, ampliação da base de apoio, e sensibilidade aos graves problemas que Mato Grosso enfrenta, dificilmente ocupará o posto máximo do Palácio Paiguas.

Parceria entre Maggi e Mendes

Em 2008, Blairo Maggi ‘ungiu’ o empresário e então recém empossado presidente da Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt), Mauro Mendes (no PR a época), para ser o candidato do partido. Maggi viu seu indicado perder para Wilson Santos, que foi reeleito.

Maggi e Mauro se separaram em 2010, na eleição estadual, quando o ex-prefeito disputou o governo pelo PSB. Em 2012, quatro anos depois e em novo partido, a parceria Blairo Maggi e Mauro Mendes finalmente deu certo e Mendes foi eleito como prefeito de Cuiabá. 

No ano passado antes das eleições municipais, Maggi avaliou que caso o cenário político fosse desfavorável ao governo de Pedro Taques (PSDB), Mauro Mendes não deveria disputar a reeleição, porque seria o sucessor natural ao Executivo, pois é capaz de agregar partidos de peso em sua volta e capazes de influenciar no cenário político.

Enfim os nomes estão postos, novas lideranças poderão surgir nos próximos meses. O jogo está apenas começando e nós vamos aguardar cenas dos próximos capítulos. A campanha, caros leitores, já começou faz tempo… Fiquem de olhos bem abertos!

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  “Não temos nenhuma prova da existência de “caixa 2” na campanha de Pedro Taques ao governo”

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Destaques

Emanuel Pinheiro cuidado, o tiro pode sair pela culatra

Publicados

em

O lance mais ousado de Emanuel Pinheiro será o rompimento com o seu partido, o MDB. O prefeito cuiabano vem fazendo nos bastidores uma verdadeira jogada de mestre, e prestes a dar um “Xeque-mate”, são movimentos que quando alguns de seus adversários acordarem será tarde.

Estes movimentos do emedebista Emanuel Pinheiro não é novidade, quem conhece os seus passos na política já esperavam esse “Xeque-mate”. O alcaide cuiabano tem se dedicado em vez de aparecer para a opinião pública como grande líder oposicionista. Alguns tem a sensação errônea de que está desinteressado do embate político

As mexidas das pedras no tabuleiro de xadrez, estão sendo as mesmas desde os idos dos anos 90, quando foi escolhido líder do Prefeito de Cuiabá na época, Frederico Campos na Câmara Municipal de Cuiabá.

E está sendo a mesma que foi durante o governo de José Pedro Gonçalves Taques, o então deputado estadual Emanuel Pinheiro, montou sua candidatura costurando alianças nos bastidores para romper o acordo com alguns partidos, o hoje Prefeito da Capital de todos os mato-grossenses, trabalha com o objetivo de criar condições políticas que permitam montar uma proposta de campanha ampla que lhe dê respaldo para o combate ao Governo do Estado que pretende desencadear no momento que considere mais adequado.

Continuamos com o político habilidoso. Não é novidade para ninguém que Nenel Pinheiro trabalha nos bastidores para montar uma grande aliança partidária que lhe respalde a candidatura ao Governo do Estado em 2022 jogando na divisão da base aliada do governador do Partido Democrata (DEM), Mauro Mendes Ferreira.

Prestem atenção na formação da chapa dos candidatos para o Legislativo Estadual do Partido Progressista (PP).

O time já conta com três nomes de respeito: Vanderlucio Rodrigues atual comandante da empresa que realiza a coleta de lixo e limpeza das ruas e Avenidas de Cuiabá; Werner Santos atual presidente do MT Par e o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Luiz Binotti, que deixará o PSD.

Você está perguntado do deputado estadual Paulo Roberto Araújo do Partido Progressista (PP)? Quer saber mesmo?

Bem então vamos lá! Neste momento pré-eleitoral o que mais se vê: políticos “acendendo uma vela pra Deus e outra para o diabo”.

Nós do Blog do Valdemir chamamos de estratégia de sobrevivência no tabuleiro dos interesses políticos e econômicos entre dois polos.

Mas qual o motivo de descrever este dito popular “acende uma vela pra Deus e outra para o diabo”? O dito define a situação do deputado estadual Paulo Araújo (PP).

Vamos ao ponto: a reeleição do deputado estadual Paulo Araújo passa a ter um concorrente direto, chama-se Vanderlucio. Isso mostra que a turma de Nenel Pinheiro não estão contentes com o posicionamento dúbio do parlamentar progressista. Que hora assopra para o Palácio Paiaguas, hora assopra para o Palácio Alencastro. Não existe uma ou nenhuma conotação religiosa ou de qualquer outro tipo. As usei para facilitar a conversa com os meus colegas, principalmente os jovens que nas redações precisam sintetizar para os leitores que duas ou três frases, que todos entendam os conteúdos recheados de palavras técnicas.

Olhares políticos voltado para Pinheiro

Mesmo o prefeito cuiabano dizer que não é momento de falar ou fazer política voltada para 2022, e sempre falar que sua prioridade é terminar o seu mandato, Pinheiro chegou de ser cortejado, namorado por algumas siglas partidárias para o projeto Governo do Estado em 2022.

O Senador do Partido Liberal (PL), Wellington Antônio Fagundes, líder da sigla no Estado de Mato Grosso, o tucano Nilson Aparecido Leitão, e até mesmo o seu filho Emanuel Pinheiro Neto, o Emanuelzinho Pinheiro do PTB, fizeram um pedido de noivado e posteriormente casamento.

Eles dizem que já ate compraram a aliança para o pedido de noivado e depois o casamento. Além disso, Nenel Pinheiro disse que 3 outros partidos pretendentes que também estão de olho nesse namoro, mas que ainda não pode dizer quem são os interessados.

Hoje a minha prioridade neste momento é com a Pandemia da Covid-19 e também com a vacinação dos cuiabanos o quanto antes. Mas, algumas lideranças políticas do nosso Estado têm nos procurado para conversar, isso é natural na política com aqueles queiram discutir o processo eleitoral. Temos o modelo que ai está ofertado (Governo Mauro Mendes) e um modelo que contemple nas forças políticas democráticas dos seguimentos da sociedade que vai desde o setor produtivo aos servidores públicos ativos e inativos e que possamos escrever uma agenda positiva para Mato Grosso, com um novo modelo de desenvolvimento econômico social para o Estado. Então essa é a minha posição, e estamos conversando, mas a prioridade é a vacinação da população”.

Sobre o MDB, Nenel Pinheiro disse que que vai provocar o partido para essa discussão, Governo do Estado 2022. Emanuel Pinheiro entende que o seu partido precisa discutir um projeto de candidatura própria. E apesar da reeleição apertada, Nenel Pinheiro se diz preparado para disputar, mas não confirma sua candidatura em 2022.

Independente se Emanuel será candidato ao governo ou não. Se não for Emanuel, tem outros nomes. O que importa é a proposta, o partido precisa voltar a ser protagonista da eleição governamental”.

Nota da redação

A jogada de Emanuel Pinheiro, porém, pode dar errado caso se confirme o desgaste do “paletó” e, sobretudo porque o MDB, em jogada oportunista, mas correta pragmaticamente está se oferecendo para abrir mão de candidatura própria para apoiar a reeleição do Democrata (DEM), Mauro Mendes Ferreira.

O MDB viu uma oportunidade para demonstrar lealdade ao governo estadual, vai conseguir subir o conceito com governador e mostrará ser o parceiro preferencial.

Mas uma pergunta fica no ar…, e a parlamentar do MDB, Janaína Greyce Riva, como fica…, será que sobe no palanque do Democrata Mauro Mendes? De que lado e posição ela se encontra.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Luz aparece no final do túnel: “Homem de Ferro” muda discurso e Mato Grosso já tem perspectiva de dias melhores
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA