Artigos

Marco Aurélio Pitta: – Fusões e aquisições: o ano de 2020 promete!

Publicados

em

 

           Fusões e aquisições: o ano de 2020 promete!

Autor: Marco Aurélio Pitta

O ano de 2020 promete ser bem movimentado para operações de fusões e aquisições no Brasil. As chamadas operações de M&A (Mergers and Acquisitions em inglês) se tornam cada vez mais comuns aqui em nosso país. O ano passado já foi um sucesso. Segundo a consultoria Evolua, o segmento de fusões e aquisições movimentou R$ 307 bilhões em 2019, uma alta de mais de 58% se compararmos com 2018. Educação, Saúde, Tecnologia da Informação, Telecom e Imobiliário são alguns exemplos de setores que tiveram êxito no ano passado.

E o que nos faria acreditar que 2020 pode ser melhor ainda? São vários fatores, como ambiente favorável de Reformas, como a Tributária e Administrativa; expectativa de crescimento do PIB; bolsa de valores com recordes históricos; queda da inflação e juros (SELIC) no Brasil; juros negativos na Europa e mínimos nos EUA; aumento do nível de confiança dos investidores nacionais e estrangeiros; esforço do Governo de simplificar o ambiente de negócios no Brasil.

Consultorias como PwC e KPMG já apontam tendência para consolidação por aqui. Alia-se a isso a onda de movimentos que devem continuar para este ano: a criação de Unicórnios brasileiros e IPOs dentro e fora do país. Esses movimentos geram poder financeiro para grandes corporações que, para crescer, precisam fazer aquisições, crescer de forma não orgânica. Do outro lado, empresas familiares se veem com propostas cada vez mais “tentadoras”, estando ao mesmo tempo com dificuldades de sucessão familiar no negócio e falta de uma boa governança corporativa.

Mas donos de negócios que buscam uma possível venda precisam fazer a lição de casa, deixando seus negócios no melhor “compliance” possível. Empresas que não estão em boa ordem, com uma contabilidade em dia e sem riscos legais, trabalhistas e tributários podem fazer eventuais compradores perderem o interesse inclusive em um bom ativo.

Passando desse nível, não podemos esquecer que todos os M&As precisam ter um cuidado especial. São processos demorados que vão desde avaliar interessados em quem quer comprar e quem quer vender, analisar a viabilidade jurídica da operação, preparar modelagem financeira (valuation) para justificar o negócio, contratar e realizar a due diligence, definição do preço de venda e a confecção e assinatura do SPA (Sale and Purchase Agreement). E tudo isso pode demorar semanas, meses e até anos… sem falar no pós “closing” (após o fechamento da operação).

Ter bons assessores dos dois lados (comprador e vendedor) é fundamental para que esse tipo de negócios se concretize. Por outro lado, isso se torna uma grande oportunidade para profissionais que têm experiência sobre todo este processo além de conhecimento em áreas como Finanças, Contabilidade e Direito.

Como se vê, processos de fusões e aquisições movimentam a economia e beneficiam, principalmente, profissionais que estejam preparados para acompanhar projetos estratégicos deste tipo, que está só no começo. Grandes desafios e oportunidades pela frente… que venham os M&As!

Marco Aurélio Pitta é profissional de contabilidade, coordenador e professor do programa de MBA em Finanças de Alta Performance da Universidade Positivo.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Michaela Vicare: - O engajamento dos colaboradores em um mundo colocado à força em home office

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Artigos

Roberta Züge: – Covid e alimentos: o leite como importante fonte de suprimentos para o combate

Publicados

em

 

Covid e alimentos: o leite como importante fonte de suprimentos para o combate

Autora: Roberta Züge

Em tempos de pandemia, muitas dúvidas surgem em relação à como fortalecer o sistema imunológico, aquele que ataca os microrganismos causadores de doenças, como o vírus da Covid-19. Um sistema de defesa robusto tem mais chances de combater tais agentes com muito sucesso.

Muitos estudos estão sendo realizados, em diversas partes do planeta. Um grupo de cientistas australianos, do Doherty Institute, anunciou que identificou como o sistema imunológico do corpo combate a Covid-19. Nesta publicação, eles puderam descrever o aumento da defesa imunológica e das células de anticorpos, e descobriram que essas células são muito semelhantes às ativadas em pacientes com influenza, que é a gripe comum.

Neste estudo, que foi conduzido testando a resposta imunológica em quatro momentos diferentes da infecção por Covid-19, podem-se identificar tipos diferentes de células imunológicas. É como se o pelotão de combate fosse composto de diferentes armamentos, cada fase utilizando uma arma diferente.

Como o corpo precisa se armar, ele depende dos insumos para produzir o arsenal. Basicamente, o corpo humano transforma o que é ingerido em armas. Se a matéria prima não for de qualidade, ou se faltar algum insumo, estas respostas também não serão adequadas. Afinal, o pelotão pode não estar armado adequadamente, caso falte os suprimentos.

A maior parte destes insumos são os alimentos que ingerimos. No entanto, o sistema imunológico não é invencível: não há nenhum alimento mágico, suplemento ou outra vitamina que pode torná-lo inatacável. É um sistema muito intricado que envolve distintas células e moléculas cujas reações precisam de regulação.

Claro, o alimento certamente não é a única resposta, um estilo de vida saudável contribui para o combate às infecções, fortalecendo o sistema imunológico. Quanto aos alimentos a serem favorecidos, é preciso lembrar, acima de tudo, que é essencial evitar deficiências. Uma dieta equilibrada fornece a grande maioria de todos os nutrientes que o corpo precisa.

Certos nutrientes foram identificados para promover a resposta imune ‌pelo aumento da proliferação de linfócitos (as células de combate), é o caso da arginina (aminoácido presente em certas proteínas, como a whey) e do zinco, que é um mineral com melhor absorção quando oriundo de produtos de origem animal.

Neste contexto atual, para combater o coronavírus, é essencial otimizar as funções do sistema imunológico e, assim, combater melhor as infecções bacterianas e virais. Para fortalecer as defesas imunológicas e melhorar a saúde, os alimentos devem ser diversificados‌. Será especialmente direcionado a certos alimentos para fornecer os nutrientes que mais especificamente desempenham um papel no sistema imunológico.

Para fortalecer o sistema imunológico, a dieta deve ser diversificada. É necessário favorecer alimentos que contenham: antioxidantes, ômega 3, aminoácidos, fibras, magnésio, probióticos de zinco e prebióticos.

Quais alimentos? Todos os legumes e frutas frescas, sementes oleaginosas; carnes magras e miudezas; peixes e crustáceos; cereais e legumes; leite e derivados; e óleos ricos em ômega 3 e 6.

Infelizmente, há divulgação tendenciosa indicando que leite e derivados não devem ser consumidos, o que é exatamente ao contrário. Ele fornece suprimentos para confeccionar as armas deste combate. O leite é um alimento muito rico e, acima de tudo, realmente muito barato frente aos nutrientes que pode oferecer. Neste momento de incertezas e de muitas fake news, é importante manter o organismo bem nutrido e, nada melhor, que um alimento completo, que tenha fácil absorção de seus nutrientes.

Roberta Züge; Diretora Administrativa do Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS); Diretora de Inteligência Científica Milk.Wiki; Médica Veterinária Doutora pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (FMVZ/USP); Sócia da Ceres Qualidade

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Roberta Züge: - Covid e alimentos: o leite como importante fonte de suprimentos para o combate
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA