ARTIGO

Francisney Liberato: –  O momento de lutar

Publicados

em

 

                     O momento de lutar

Autor: Francisney Liberato

Há tempo para tudo, e enquanto há tempo, há oportunidade de fazer.

No seriado da TV Record denominado “Rei Davi”, existe um capítulo em que se conta o pecado cometido pelo rei após relacionar-se com Bate-Seba, a qual era casada com Urias.

Como consequência de sua atitude irresponsável, Deus afirmou por intermédio do profeta Natã que o seu pecado custaria a vida do seu filho recém-nascido.

Davi ficou aflito pela mensagem do profeta. O rei ficou alguns dias sem comer e se isolou. Ele clamava a Deus 24 horas por dia para que não permitisse que o seu filho fosse morto.

Passados alguns dias, o filho de Davi faleceu. Então, no contexto do seriado da Record, Davi soube da notícia, tomou um banho, se vestiu com novas vestes e foi se alimentar.

Os servos, ao verem aquela cena, ficaram abismados e perguntaram a Davi: não entendemos a atitude do rei: quando o seu filho estava doente próximo da morte, o rei jejuava, chorava, clamava, implorava para que Deus fizesse um milagre. Agora o filho morreu e o rei nem dedica um tempo para o luto?.

Davi então respondeu: o momento de chorar, de pedir, de clamar e de lutar já foi feito, isto é, antes da morte.

Se refletirmos sobre o enredo da história do seriado, vamos notar que há uma aplicação perfeita e profunda para as nossas vidas.

Ninguém gosta de sofrer ou chorar. Nós desejamos ter uma vida com alegria e muita saúde. Acontece que as circunstâncias da vida estão fora do nosso controle. Às vezes, alguns dos nossos atos custam um alto preço a ser pago.

Davi estava sofrendo as consequências de suas atitudes imprudentes. O efeito veio com a morte do seu filho recém-nascido. Ele sofreu muito, sofreu amargamente pelos seus erros.

Apesar do sofrimento do rei, a história nos ensina uma lição poderosa que podemos aplicar para nossa vida hoje. O rei fez o seu melhor, o seu máximo, intercedendo pela vida de seu filho, mas Deus tinha planos para o cumprimento do que havia prometido, pois foi por intermédio do sofrimento de Davi que o seu coração retornou contrito à vontade de Deus.

Se isso já aconteceu em sua vida, saiba que perder um ente querido, ou romper com alguém, não é fácil. Pode ser que você até sofra, mas desde que seja de forma temporária, uma vez que continuar sofrendo não mudará o cenário da sua vida. Devemos lutar e persistir, quando possível, antes que ocorra um fato irreparável.

Que possamos utilizar a mesma experiência do rei Davi, em que o momento para lutar e batalhar pelas nossas conquistas e pelos nossos entes queridos é enquanto houver vida. Se perdermos esta oportunidade, pode ser que jamais tenhamos uma nova chance de combater e demonstrar o nosso amor e carinho por essas pessoas.

Francisney Liberato Batista Siqueira é Auditor Público Externo do Tribunal de Contas de Mato Grosso e Chefe de gabinete de Conselheiro do TCE-MT. Palestrante Nacional, Professor, Coach e Mentor. Bacharel em Administração, Bacharel em Ciências Contábeis (CRC-MT) e Bacharel em Direito (OAB-MT). Autor dos Livros: “Mude sua vida em 50 dias”, “Como falar em público com eficiência”, “A arte de ser feliz” e “Singularidade”.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Daniel Medeiros: - A inteligência do caraco
Propaganda

Artigos

José Wenceslau de Souza Júnior: – Toda crise traz mudanças!

Publicados

em

 

                  Toda crise traz mudanças!

Autor: José Wenceslau de Souza Júnior

Em 2020, estamos vivendo um divisor de águas, pois a Covid-19 está fazendo todos se reinventarem, e consequentemente, o comércio também.

O comerciante deve preparar a loja para receber o cliente, e se atentar ao comportamento, já que ele está menos consumista, mais exigente e cuidadoso.

O cliente mudou a percepção sobre as marcas, em destaque estão as empresas que possuem boas ações, atendimento diferenciado, tanto na forma presencial, quanto on-line (WhatsApp, Chatboot, Instagram, Facebook, site e e-mail marketing).

O que consumir também entrou nas indagações do cliente, pois o supérfluo deixou o lugar para o essencial, desde a alimentação, viagens, cabeleireiro, vestuário, até móveis, eletrodomésticos e veículos.

Já para o comerciante, o desafio é se adequar às normas sanitárias e de distanciamento sem perder a qualidade no atendimento, manter o preço competitivo da loja física, em relação às lojas virtuais.

De acordo com pesquisa realizada por uma empresa especializada em inteligência de mercado, 51% dos consumidores brasileiros comprarão mais pela internet ou por aplicativos, sendo que 45% das compras realizadas nos últimos três meses foram feitas pela primeira vez, ou seja, até os mais receosos perderam o medo de utilizar o cartão de crédito no universo digital.

E o comércio, gerador de cerca de 66% da arrecadação do ICMS em Mato Grosso, e empregador de mais da metade dos trabalhadores com carteira assinada – precisa de atenção. Não me refiro apenas ao gestor do negócio, mas atenção do poder público.

Com o aumento das compras pela internet, o consumo nas lojas físicas já diminuiu, e uma readequação dos impostos deve ser feita, para evitar uma competição desigual entre lojas físicas x virtuais.

Por outro lado, há 40 anos atuando no comércio mato-grossense, já vivenciei outras crises e tenho certeza que vamos superar mais essa. O consumo retraído neste período de isolamento e recessão econômica, vai se estabilizar, talvez não na velocidade que desejamos, mas no último trimestre deste ano, os consumidores voltarão a realizar as compras – sem receios.

E mais uma vez ressalto, o comércio é importante para o desenvolvimento social, porque por trás de um CNPJ, existem muitos CPFs.

José Wenceslau de Souza Júnior, comerciante há mais de 40 anos e presidente da Fecomércio, Sesc e Senac em Mato Grosso.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  José Wenceslau de Souza Júnior: - Toda crise traz mudanças!
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA