ARTIGO

Eluise Dorileo: – Você está na vibração do coronavírus?

Publicados

em

 

              Você está na vibração do coronavírus?

Autora: Eluise Dorileo

Parece estranho pensar assim, mas você sabia que o coronavírus tem uma vibração de 5.5hz…e morre acima de 25.5hz?

Mas o que nos coloca na vibração do coronavírus? Causas como cansaço, medo, tensão nervosa, tristeza e raiva…Tudo isso nos coloca em uma vibração baixa.

E nesse momento quanto mais notícias sobre mortes e contaminação do Covid-19 nossa vibração fica muito baixa.

Sem contar locais que por si já tem uma vibração muito baixa como hospitais, bares,

prisões, subterrâneos, matadouros onde a vibração cai a 20hz. Sendo que a frequência da Terra agora é de 27,4hz. Por isso temos que ficar antenados para tentar manter nossa frequência numa vibração alta.

Quanto mais cai a nova vibração mais risco temos de nos contaminar, ou seja, é um perigo para nossa saúde. Nossas emoções influenciam diretamente nossas células e, por conseguinte, determinam a nossa frequência vibratória, pois no Universo, tudo é vibração.

Vibrar em alta frequência é o melhor antídoto que existe para aumentar nossa imunidade. Você sabia que o amor, a alegria e a paz estão acima dos 500 Hertz de frequência, enquanto o medo está abaixo dos 100 Hertz? Se vibrarmos no medo, estaremos dando as boas-vindas a este vírus e outras energias negativas.

Nosso pensamento comanda tudo. Foque em pensamento positivo. Como? Independente de onde você esteja, procure reservar, ao longo do dia, períodos de recolhimento interior. Medite, dance, cante alto, coma alimentos naturais como grãos, ouça músicas de natureza elevada como mantras e assista a filmes que o faça rir, tome sol, corra e beba água. Zele por compartilhar positividades com as pessoas. Quanto mais alta sua vibração, mais coisas boas você atrai.

E não se esqueça que a vibração baixa vem com dor de 0,1 a 2hz, o medo 0,2 a 2,2hz,

Irritação 0,9 a 6,8hz, Barulho 0,6 a 2,2hz, Orgulho 0,8 hz, Abandono 1,5hz e Sentimento de superioridade 1,9 hz.

Agora que você já sabe o que pode aumentar ou diminuir sua vibração. Mude de atitude e vibre muito alto e saia da frequência do coronavírus e qualquer coisa que não te faça bem.

Eluise Dorileo é psicóloga, terapeuta familiar e maestria nas novas constelações quânticas.

Email [email protected]

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Francisney Liberato: - Mas
Propaganda

Artigos

Luiz Affonso Romano: – Cúmplices da crise

Publicados

em

 

                         Cúmplices da crise

Autor: Luiz Affonso Romano

O Brasil continua vivendo a síndrome da crise, para a qual foi arrastado pela recessão econômica, manutenção de privilégios, adiamento da discussão das reformas e transtornos na área política. Em nome delas, o desenvolvimento é sucessivamente adiado.Enquanto não ocorre, os braços continuam cruzados. Agora, por exemplo, a desculpa está na definição das reformas. Os negócios, antes devagar e muitas oportunidades perdidas, com a chegada da Covid-19, pararam de vez.

Cabe aos consultores, além de apontar caminhos próprios e independentes para alcançar o desenvolvimento, encaminhar saídas para debate. Nesse terreno, graças às múltiplas experiências, o olhar enviesado e crítico e à própria natureza do nosso trabalho, os consultores sabem caminhar. Essa tarefa pode e deve envolver os clientes, a mídia e as autoridades, apresentando propostas concretas para a retomada do crescimento econômico e social. Caso nada seja feito, seremos cúmplices da crise e responsáveis por mais uma década perdida.

Agora que o pico do coronavírus se aproxima, nosso cotidiano mudou e não temos qualquer referência que nos sirva de bússola. Daqui para frente, os choques socioeconômicos serão devastadores e transformações mais aceleradas no emprego e no trabalho.

Assim, os consultores precisam estar conscientes e persistir na tecla da redução das desigualdades e na busca de parcerias na América do Sul; aqui somos grandes em território, PIB e população e contemporâneos.

A democracia permite e exige a participação de todos, o exercício da cidadania na sua plenitude; mormente porque o peixe não entende lá muito bem o que é o mar…

Ademais, o passado já está feito, mas o presente pode servir de base para construir o futuro.

Luiz Affonso Romano é consultor organizacional e de pessoas, CEO do Laboratório da Consultoria, presidente da ABCO e coordenador da pesquisa anual Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Luiz Affonso Romano: - Cúmplices da crise
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA