ARTIGO

Eluise Dorileo: – Você está na vibração do coronavírus?

Publicados

em

 

              Você está na vibração do coronavírus?

Autora: Eluise Dorileo

Parece estranho pensar assim, mas você sabia que o coronavírus tem uma vibração de 5.5hz…e morre acima de 25.5hz?

Mas o que nos coloca na vibração do coronavírus? Causas como cansaço, medo, tensão nervosa, tristeza e raiva…Tudo isso nos coloca em uma vibração baixa.

E nesse momento quanto mais notícias sobre mortes e contaminação do Covid-19 nossa vibração fica muito baixa.

Sem contar locais que por si já tem uma vibração muito baixa como hospitais, bares,

prisões, subterrâneos, matadouros onde a vibração cai a 20hz. Sendo que a frequência da Terra agora é de 27,4hz. Por isso temos que ficar antenados para tentar manter nossa frequência numa vibração alta.

Quanto mais cai a nova vibração mais risco temos de nos contaminar, ou seja, é um perigo para nossa saúde. Nossas emoções influenciam diretamente nossas células e, por conseguinte, determinam a nossa frequência vibratória, pois no Universo, tudo é vibração.

Vibrar em alta frequência é o melhor antídoto que existe para aumentar nossa imunidade. Você sabia que o amor, a alegria e a paz estão acima dos 500 Hertz de frequência, enquanto o medo está abaixo dos 100 Hertz? Se vibrarmos no medo, estaremos dando as boas-vindas a este vírus e outras energias negativas.

Nosso pensamento comanda tudo. Foque em pensamento positivo. Como? Independente de onde você esteja, procure reservar, ao longo do dia, períodos de recolhimento interior. Medite, dance, cante alto, coma alimentos naturais como grãos, ouça músicas de natureza elevada como mantras e assista a filmes que o faça rir, tome sol, corra e beba água. Zele por compartilhar positividades com as pessoas. Quanto mais alta sua vibração, mais coisas boas você atrai.

E não se esqueça que a vibração baixa vem com dor de 0,1 a 2hz, o medo 0,2 a 2,2hz,

Irritação 0,9 a 6,8hz, Barulho 0,6 a 2,2hz, Orgulho 0,8 hz, Abandono 1,5hz e Sentimento de superioridade 1,9 hz.

Agora que você já sabe o que pode aumentar ou diminuir sua vibração. Mude de atitude e vibre muito alto e saia da frequência do coronavírus e qualquer coisa que não te faça bem.

Eluise Dorileo é psicóloga, terapeuta familiar e maestria nas novas constelações quânticas.

Email [email protected]

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Dr. Rosário Casalenuovo Júnior: - Não faça botox nesta pandemia!
Propaganda

Artigos

Dr. Rosário Casalenuovo Júnior: – Não faça botox nesta pandemia!

Publicados

em

 

            Não faça botox nesta pandemia!

Autor: Dr. Rosário Casalenuovo Júnior

Falo no campo da comunicação e não da saúde. Recentemente, escrevi o artigo “O baile de máscaras na pandemia” e citei um amigo que encontrei no Aeroporto de Cumbica, em São Paulo. Como apenas olhava para sua testa e olhos, havia sugerido a ele fazer botox, pois estava com rugas. Mas, pensando bem passei a entender que a comunicação entre as pessoas, que antes olhavam para a boca, lábios e seus movimentos para ajudar a entender a sua fala. Isto tem até nome: leitura labial.

Vamos entender o que estou levantando neste momento de pandemia, porque temos que nos adaptar ao novo mundo que dizem que está vindo depois da pandemia.

Todos usando máscaras na boca e nariz. Você encontra algum conhecido no mercado, que é o único lugar que podemos ir para sair do isolamento, o qual está substituindo os shoppings. Apenas como observação, está havendo um grande número de carrinhos de compras abandonados nos corredores das gondolas, curiosamente o entendido foi que pessoas pegavam os carrinhos apenas para dar uma volta e enchendo de produtos que gostaria de comprar, depois de satisfeito com o passeio, larga o veículo sorrateiramente, indo pegar outro produto, sai à francesa. Veja como estamos carentes shoppings centers. (risos)

Voltando ao assunto do botox… A pessoa te cumprimenta falando mais alto e você consegue através do “olá” e de seu gesto ouvi-lo e entender que ele quer conversar um pouco. Ela te cumprimenta com o cotovelo e você deverá fazer o mesmo, tocar no dela. Assim, está realizando uma espécie de contato sinistro. Ela dá um sorriso empacotado, que é percebido porque fecha e franze os olhos. Bem aí ele ficará a uma distância de mais de um metro e, com o uso da máscara, você passa a ter dificuldade de ouvi-la. As palavras vão se misturando dentro do pano. Alguma vez, ela arruma a máscara que fica caindo sempre e acaba saindo por cima algumas letras e você tenta pegar com sua orelha o som.

Porque sugiro não usar botox na pandemia? Para você conseguir desenvolver um diálogo através das máscaras, como conversar com alguém dentro do carro com o vidro fechado. Vamos precisar das expressões da testa e dos olhos. Como se fosse uma leitura “testal”, ou “contextual”, quero dizer com o uso da testa. Se seu amigo pergunta alguma coisa e as palavras ficaram atrás do protetor viral, ele irá levantar as sobrancelhas e franzir a testa. Aí você desconfia que ele está perguntando. Se franziu o prócero (região entre as sobrancelhas), ele está dizendo que ficou bravo com alguma coisa. Assim, vai se conduzindo um diálogo, como se as rugas do frontal fossem lábios.

Agora, se o indivíduo está com botox, ele irá falar, você só vê a máscara se mexer, sem ouvir som, a testa e sobrancelhas congeladas, sem expressão, como um ventríloquo. Você aproxima dele para tentar ouvir e ele dá um passo para trás para manter a distância. Só que você não pode desistir para não passar como metido ou chato. Precisamos preservar a amizade pois depois da pandemia estaremos muito carentes.Teremos que desconstruir para reinventar tudo. Dentes feios, mau hálito, não têm a menor importância agora. Você pode bocejar sem colocar a mão para esconder a boca que já está tampada. Está vendo? Há vantagens também. Só não pode espirrar ou tossir em público, vão te olhar como um homem bomba biológica. O que achei o máximo foi ir ao banco mascarado. Já imaginou se você fosse passar pela roleta do banco de máscaras tempos atrás? Seria recebido a tiros.

Migo ou miga, fica meu conselho, mantenha as rugas da sua testa. Se não, você se tornará um ser incomunicável“.

Dr. Rosário Casalenuovo Júnior é diretor Clínico do Instituto Machado de Odontologia, Presidente da ABOR-MT (Associação Brasileira de Ortodontia – SEC.MT). Contato: rosá[email protected]

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Dr. Rosário Casalenuovo Júnior: - Não faça botox nesta pandemia!
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA