Artigo

Comece o ano cuidando da sua audição

Publicados

em

 

Autora: Vanessa Moraes –

Mesmo a perda auditiva tendo seu desenvolvimento lento e silencioso, seus “estragos” no dia a dia do deficiente como também de sua família são enormes e algumas vezes irreparáveis se não reabilitados precocemente.

Assim, quanto mais rápido o diagnóstico acontecer, melhor serão as condições de tratamento.

Nos recém-nascidos a perda auditiva não tratada pode desencadear a falta do desenvolvimento da fala, atraso de fala, e com isso diversos transtornos psico-sociais envolvidos. Teste da Orelhinha, Emissões Otoacústicas e Bera são alguns dos exames que podem ser solicitados pelo médico.

Em pré-escolares, infecções nos ouvidos, presença de cera nos ouvidos podem rebaixar a audição, levando a dificuldades de aprendizagem, pois há diminuição do rendimento escolar, podendo levar a criança a sofrer bullying escolar, sendo vista como desatenta, “viver no mundo da lua”… Isso facilmente se resolve com uma consulta ao otorrinolaringologista que define sua conduta como medicamentosa, cirúrgica ou até a indicação de uso de aparelhos auditivos se a perda auditiva for confirmada.

O ruído presente em nosso trabalho, lazer e também em muitas situações do nosso dia a dia é a principal causa da perda auditiva no mundo. É uma perda auditiva irreversível, ou seja, não há medicação e nem cirurgia para correção, somente com o uso de aparelhos auditivos.

Comumente encontramos nossos jovens com fones em volume maior que o permitido para que não aconteça danos irreversíveis nas células dos ouvidos. A prevenção é a única forma para que isso não aconteça. Nos trabalhadores expostos a ruídos, o uso de equipamento de proteção a ruídos (EPI) é obrigatório e os exames de audição de rotina fazem parte do programa de saúde do trabalhador. Essa perda auditiva por ruído é irreversível e geralmente vem acompanhada por zumbido nos ouvidos.

O aparecimento de tumores, traumas acústicos também podem favorecer o aparecimento da perda auditiva que somente pode ser tratada com o uso de aparelhos auditivos.

É a partir dos 45 anos de idade que se inicia a perda auditiva natural da idade. Para esta, não há prevenção, acontecerá para as pessoas, em diferentes graus, porém para todos os sexos. Ela não deve ser desconsiderada, deve ser diagnosticada o quanto mais cedo possível, pois estudos recentes demonstram que 70% das perdas auditivas não tratadas podem levar a alterações neurológicas como o Alzheimer, aumentam em 25% as chances de queda, favorecem a depressão, o isolamento, o estresse, a irritabilidade, entre outros.

Assim sendo, o exame de audição deve fazer parte do seu check-up anual.

Cuide da sua saúde escutando bem e melhor! Saiba mais sobre o assunto em @fonovanessamoraes

  • Vanessa Moraes é fonoaudióloga e audiologista –
COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Penso, logo sou
Propaganda

Artigos

Qual o meu desconto para pagar as dívidas do FIES?

Publicados

em

 

Autora: Gisela Simona –

No finalzinho de dezembro de 2021 muita gente comemorou a Medida Provisória de n. 1.090/2021 que garante a regularização de débitos vencidos e não pagos do Fundo de Financiamento Estudantil – FIES, mas existem dúvidas sobre quem verdadeiramente será beneficiado com a medida e qual o percentual de desconto de cada um.

Vale o registro que o FIES é um programa do Governo Federal destinado a concessão de financiamento a estudantes regularmente matriculados em cursos superiores de universidades privadas, com avaliação positiva pelo MEC.

Assim, é importante saber que a medida beneficia alunos que aderiram ao FIES até o segundo semestre de 2017 e os benefícios significam descontos e até perdão dos juros e das multas, parcelamentos e abatimento no valor principal da dívida.

O maior desconto será para os estudantes com débitos vencidos e não pagos há mais de 360 dias, contados da publicação da MP n. 1.090 de 30/12/2021, que estejam no Cadastro Único de Programas Sociais – CadÚnico ou que tenham sido beneficiários do Auxílio Emergencial 2021, com desconto de 92% do valor consolidado da dívida, inclusive principal, por meio da liquidação integral do saldo devedor.

Na sequência será concedido um desconto de 86,5% para os estudantes com débitos vencidos e não pagos há mais de 360 dias, contados da publicação da MP n. 1.090 de 30/12/2021, que não estejam no CadÚnico ou que não tenham recebido o Auxílio Emergencial em 2021.

Também terão descontos os estudantes com débitos vencidos e não pagos há mais de 90 dias, contados da publicação da MP n. 1.090 de 30/12/2021, sendo esse desconto da totalidade dos encargos e 12% do valor principal, para pagamento à vista ou mediante parcelamento em até 150 parcelas mensais e sucessivas, com redução de 100% de juros e multas.

A Medida Provisória irá beneficiar cerca de um milhão de contratos, sendo 548 mil de inadimplentes inscritos no CadÚnico ou que tenham recebido o Auxílio Emergencial em 2021 e mais 524,7 mil contratos dos demais inadimplentes.

Referida medida está vigente desde sua publicação e para aderir à renegociação da dívida do Fies, o estudante terá que procurar os canais de atendimento agentes financeiros, ou seja, do banco que fez o seu respectivo financiamento.

Para saber mais sobre seus direitos nos siga nas redes sociais @giselasimonaoficial.

  • Gisela Simona é advogada, especialista em Direito do Consumidor.
COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Leonardo Campos: - 90 anos da OAB Nacional
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA