Artigos

Ana Lucia Zattar Coelho: – Você já ouviu falar em plogging?

Publicados

em

 

                   Você já ouviu falar em plogging?

Autora: Ana Lucia Zattar Coelho

Plogging é uma modalidade de exercício físico criada na Suécia, junção do jogging, do inglês, correr, e ploka up, do sueco, recolher. Traduzindo, o plogging nada mais é que correr ou caminhar recolhendo resíduos.

Esses dias, caminhando a pé da minha casa para a academia, resolvi praticar o plogging. Com uma luva de borracha em uma das mãos e portando uma sacola fui testar essa nova atividade, pois a primeira vez que ouvi sobre isso pensei: por que alguém deveria juntar os resíduos deixados por outra pessoa? Porém, a cada dia me convenço de que educamos pelo exemplo e que se mudarmos nosso modo de interpretar as coisas que costumamos julgar, além de melhorar como seres humanos, podemos melhorar o mundo ao nosso redor.

O que encontrei no caminho me fez refletir sobre a relação dos resíduos coletados e o conceito de cultura corporal de movimento. Vou explicar a minha linha de raciocínio: a sociedade é como é porque as pessoas são como são. Somos o que somos também por influência dessa mesma sociedade. O que pensamos, o que consumimos e as ações que temos refletem o mundo que está aí fora. Se mudamos alguns dos fatores daquilo que estamos colocando nessa equação, o resultado seguramente será diferente.

Voltando a falar do que encontrei pelo caminho: dos resíduos coletados cito as campeãs: disparadamente, as bitucas de cigarro. Infelizmente são muitas e ficam misturadas à paisagem da cidade, contaminando o cenário depois de já terem prejudicado de forma cruel e silenciosa a saúde de seu usuário, que ainda por cima as jogou ali inapropriadamente.

Lindas e coloridas, de vários tamanhos e transparências (incluindo vasilhame, tampinhas e rótulos), as garrafinhas de plástico emplacaram a prata nesse pódio meio baixo-astral. Legal, beber água é importante, mas por que a pessoa não leva consigo a sua própria garrafinha permanente? Ah, não deu? Teve que comprar na padaria? Então descarte-a adequadamente. Hidratar-se é importante, mas cuidar da natureza é tão importante quanto! E se foi refrigerante? Vale repensar a quantidade de substâncias que não contribuem em nada para a saúde do corpo. Segundo o médico cardiologista e nutrólogo, Lair Ribeiro, a cada copo de refrigerante ingerido, são necessários 32 copos de água para equilibrar o pH do sangue. Ruim para o corpo, ruim para a natureza.

O terceiro resíduo que me chamou a atenção foram as embalagens de caixinhas tipo tetra pak, como de achocolatados com canudinhos. Seu ex-dono ingeriu uma quantidade gigante de açúcar, gorduras, espessantes e outras substâncias que não o nutriram da melhor forma. Para piorar, o usuário ainda jogou a embalagem na calçada. Perde a saúde do corpo, perde a saúde do planeta.

Fim da caminhada, início da reflexão: a relação da cultura corporal com a qualidade dos produtos consumidos e a destinação inadequada dada a cada um dos resíduos gerados reflete a complexidade do mundo onde vivemos. Percebemos que cada ação humana não é isolada e que tem consequências e autoconsequências. Por meio do plogging, pudemos constatar e concluir que devemos não só ter os cuidados com nossas práticas corporais, mas devemos também ficar atentos a tudo o que nos compõe, seja físico, social, cultural ou comportamental.

Ana Lucia Zattar Coelho é professora nos cursos de Licenciatura e Bacharelado em Educação Física do Centro Universitário Internacional Uninter.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Michaela Vicare: - O engajamento dos colaboradores em um mundo colocado à força em home office

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Artigos

Roberta Züge: – Covid e alimentos: o leite como importante fonte de suprimentos para o combate

Publicados

em

 

Covid e alimentos: o leite como importante fonte de suprimentos para o combate

Autora: Roberta Züge

Em tempos de pandemia, muitas dúvidas surgem em relação à como fortalecer o sistema imunológico, aquele que ataca os microrganismos causadores de doenças, como o vírus da Covid-19. Um sistema de defesa robusto tem mais chances de combater tais agentes com muito sucesso.

Muitos estudos estão sendo realizados, em diversas partes do planeta. Um grupo de cientistas australianos, do Doherty Institute, anunciou que identificou como o sistema imunológico do corpo combate a Covid-19. Nesta publicação, eles puderam descrever o aumento da defesa imunológica e das células de anticorpos, e descobriram que essas células são muito semelhantes às ativadas em pacientes com influenza, que é a gripe comum.

Neste estudo, que foi conduzido testando a resposta imunológica em quatro momentos diferentes da infecção por Covid-19, podem-se identificar tipos diferentes de células imunológicas. É como se o pelotão de combate fosse composto de diferentes armamentos, cada fase utilizando uma arma diferente.

Como o corpo precisa se armar, ele depende dos insumos para produzir o arsenal. Basicamente, o corpo humano transforma o que é ingerido em armas. Se a matéria prima não for de qualidade, ou se faltar algum insumo, estas respostas também não serão adequadas. Afinal, o pelotão pode não estar armado adequadamente, caso falte os suprimentos.

A maior parte destes insumos são os alimentos que ingerimos. No entanto, o sistema imunológico não é invencível: não há nenhum alimento mágico, suplemento ou outra vitamina que pode torná-lo inatacável. É um sistema muito intricado que envolve distintas células e moléculas cujas reações precisam de regulação.

Claro, o alimento certamente não é a única resposta, um estilo de vida saudável contribui para o combate às infecções, fortalecendo o sistema imunológico. Quanto aos alimentos a serem favorecidos, é preciso lembrar, acima de tudo, que é essencial evitar deficiências. Uma dieta equilibrada fornece a grande maioria de todos os nutrientes que o corpo precisa.

Certos nutrientes foram identificados para promover a resposta imune ‌pelo aumento da proliferação de linfócitos (as células de combate), é o caso da arginina (aminoácido presente em certas proteínas, como a whey) e do zinco, que é um mineral com melhor absorção quando oriundo de produtos de origem animal.

Neste contexto atual, para combater o coronavírus, é essencial otimizar as funções do sistema imunológico e, assim, combater melhor as infecções bacterianas e virais. Para fortalecer as defesas imunológicas e melhorar a saúde, os alimentos devem ser diversificados‌. Será especialmente direcionado a certos alimentos para fornecer os nutrientes que mais especificamente desempenham um papel no sistema imunológico.

Para fortalecer o sistema imunológico, a dieta deve ser diversificada. É necessário favorecer alimentos que contenham: antioxidantes, ômega 3, aminoácidos, fibras, magnésio, probióticos de zinco e prebióticos.

Quais alimentos? Todos os legumes e frutas frescas, sementes oleaginosas; carnes magras e miudezas; peixes e crustáceos; cereais e legumes; leite e derivados; e óleos ricos em ômega 3 e 6.

Infelizmente, há divulgação tendenciosa indicando que leite e derivados não devem ser consumidos, o que é exatamente ao contrário. Ele fornece suprimentos para confeccionar as armas deste combate. O leite é um alimento muito rico e, acima de tudo, realmente muito barato frente aos nutrientes que pode oferecer. Neste momento de incertezas e de muitas fake news, é importante manter o organismo bem nutrido e, nada melhor, que um alimento completo, que tenha fácil absorção de seus nutrientes.

Roberta Züge; Diretora Administrativa do Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS); Diretora de Inteligência Científica Milk.Wiki; Médica Veterinária Doutora pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (FMVZ/USP); Sócia da Ceres Qualidade

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Michaela Vicare: - O engajamento dos colaboradores em um mundo colocado à força em home office
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA